Sem revelar os valores envolvidos na compra da fábrica da Mercedes-Benz de Iracemápolis, SP, a chinesa GWM, Great Wall Motor, informa que antes do final deste ano deverão estar concluídas as adaptações para a produção dos veículos da marca, em processo que envolverá a criação de 2 mil empregos locais. A capacidade de  chegará a 100 mil unidades /ano após a atualização.

A empresa não adianta quais modelos produzirá no Brasil, mas fontes do setor apostam que serão oferecidos a princípio três SUVs e uma picape média. A montadora, que tem forte atuação nesses dois segmentos na China, justamente os que mais crescem no mercado brasileiro, também poderá investir em veículos elétricos.

Em nota divulgada nesta quarta-feira, 18, a Great Wall Motor informa que “transformará a fábrica da Iracemápolis em uma das bases globais de produção inteligente de automóveis para centros urbanos  com a finalidade de atender o mercado brasileiro e outros países da América do Sul”.

A assinatura do contrato aconteceu em Baoding, na China (foto acima), finalizando um negócio que abrange a aquisição do terreno, da fábrica e também das máquinas e equipamentos. Segundo a GWM, é uma transação puramente de ativos e não envolve a transferência de pessoal.

De acordo com Meng Xiangjun, presidente rotativo da Great Wall Motor, a compra não só acelerará o desenvolvimento e a implementação estratégica da companhia no mercado sul-americano como também promoverá ainda mais a sua transformação em uma empresa de mobilidade de tecnologia global.

Anúncio

Liu Xiangshang, o vice-presidente, lembrou que o Brasil é o maior e mais populoso país da América Latina, ocupando o primeiro lugar em força econômica na América do Sul e a sétima posição no ranking mundial dos maiores mercados consumidores de automóveis.

“Consideramos o Brasil um mercado estratégico no nosso plano global de internacionalização, por meio do qual nos dedicamos a estudar as preferências dos consumidores locais e o desenvolvimento e mudanças do mercado. O investimento da Great Wall Motor trará uma experiência de mobilidade inteligente, segura e de alta qualidade para os usuários. Também criará mais empregos diretos e indiretos na região. Além disso, impulsionará o desenvolvimento de P&D local e de indústrias relacionadas, promovendo a transformação e atualização da estrutura industrial local e contribuindo com mais lucros e impostos para o governo brasileiro”.

A partir da compra da fábrica de Iracemápolis, a GWM diz que  introduzirá conceitos avançados de produção, gestão de qualidade, proteção ambiental e gestão de informações de acordo com os padrões globais de fabricação da companhia.


Foto: Divulgação/GWM