A Renault apresentou no Salão de Munique, Alemanha, na terça-feira, 7, o Megane e-tech Electric. O novo carro  da marca francesa é fabricado sobre a plataforma CMF-EV, a mesma do já conhecido Ariya, modelo da parceira global Nissan. “O Novo Megane encarna a revolução elétrica que a Renault iniciou há dez anos. Democratizando a tecnologia elétrica”, afirmou Luca de Meo, CEO do Renault Group.

O modelo, que começa a ser vendido na Europa no primeiro bimestre de 2022, é fabricado na planta de Douai França, onde está a ElectriCity, polo industrial elétrico recentemente criado pela Renault e que tem por meta produção anual de 400 mil veículos elétricos. O entre-eixos do hatch é de 2,70 m, para o comprimento total de 4,21 m.

A bateria tem apenas 110 mm de espessura — 1.960 mm de comprimento e 1.450 mm de largura —, 40% a menos que a da bateria do Zoes, o que permitiu à engenharia da montadora montar os módulos de forma que o centro de gravidade do carro  seja 90 mm mais baixo se comparado ao do modelo a combustão interna.

Toda a iluminação do Novo Megane é integralmente em LED e inaugura assinaturas luminosas inéditas na marca. Os faróis têm sistema automático de comuntação baixo-alto e se adapta também à chuva e neblina.

Uma curiosidade: apesar de serem embutidas, automaticamente as maçanetas das portas se projetam para fora quando o motorista ou passageiro dianteiro se aproximam ou quando o veículo é destravado Dois minutos depois de o carro estivar em movimento ou estacionado, elas retornam à posição original .

Por dentro, a Renault destaca, além do espaço interno, a OpenR, que assegura ser a maior tela do segmento e que foi mostrada até então em carros-conceito da empresa. O display único é recoberto por uma superfície de vidro e tem área de 321 cm² para a tela de 12,3 polegadas do painel de instrumentos e 453 cm² para a tela multimídia de 12 polegadas.

Anúncio

LEIA MAIS

→ Renault voltará à China com híbridos

A conectividade, claro, é outro ponto forte do modelo. O sistema OpenR Link, baseado no sistema operacional Android e com atualização over-the-air, integra todas as funções que podem ser encontradas em um smartphone ou tablet, sendo totalmente integrado no ecossistema digital do usuário.

Assim como em um tablet, ele é operado com um dedo (toque curto, toque longo, deslizar), vários dedos (pinçar ou aumentar) ou por meio de voz.

O Electric é movido por motores de 96 kW (130 cv) e 250 Nm e 160 kW (218 cv) e 300 Nm, fabricados em Cléon, França, e também no Japão, mas neste caso para uso da Nissan. Pesa 145 quilos incluindo a transmissão, 10% a menos do que o atual conjunto do Zoe.

A melhor aceleração do hatch de 0 a 100 km/h é de 7,4 segundos e a condução pode ser nos modos pré-programados Eco, Confort e Spor, além do personalisável MySense. A troca entre eles também ocorre por comando de voz. O modelo tem 26 sistemas de assistência ao motorista, seja para condução, estacionamento e segurança.

As baterias de 40kWh têm autonomia estimada em 300 km e asde  60 kWh de até 470 km. Mas o Megane tem ainda sistema com quatro níveis de regeneração de energia em frenagens para otimizar seu uso. A garantia das baterias é de 8 anos e a Renault se compromete a trocá-las  gratuitamente neste período, caso sofram deterioração que resulte em um nível inferior a 70% de sua capacidade.

Podem ser recarregadas em uma tomada doméstica (10A/2,3 kW monofásico) e terminais públicos, que permitem recuperar até 160 km em 1 hora (32A/22 kW trifásico).  Conforme a versão, também são compatíveis com recarga em corrente continuade até 130 kW, assim como tomadas de recarga rápida em estradas, podendo recuperar até 300 km em 30 minutos, de acordo com o ciclo WLTP.


Foto: Divulgação