A indústria de veículos argentina segue em ritmo acelerado de retomada. Balanço da associação que representa os fabricantes no país, Adefa, aponta crescimento na produção de automóveis e utilitários de 20,1% em agosto sobre julho, de 31,9 mil para 38,3 mil unidades.

Na comparação com o mesmo mês do ano passado, quando registrou produção de 25,8 mil veículos a alta foi de 48,5%.

No acumulado dos oito primeiros meses, saíram das linhas de montagem da Argentina 263,8 mil veículos, volume 97,5% superior ao anotado há um ano, quando somava até agosto 133,9 mil unidades. Na mesma base de comparação, do total produzido, 159,2 mil foram de utilitários, em alta de 81,3%, e 104,6 mil automóveis, expansão de 128,7%.

Segundo os números do relatório, as exportações contribuíram de maneira significativa no ritmo da produção. No mês passado, a indústria argentina exportou 24,9 mil unidades, altas de 7,8% em relação a julho (23,1 mil unidades) e de 83,3% na comparação com agosto de 2020 (13,6 mil).

De janeiro a agosto, as exportações de veículos da Argentina acumularam 155,9 mil automóveis e comerciais leves, aumento 104,1% sobre o mesmo período do ano passado, quando as remessas somaram 76,4 mil unidades. Do total das remessas, o Brasil foi principal destino ao absorver 64,2% do volume, pouco mais de 100,1 mil unidades.

Anúncio

Para Daniel Herrero, presidente da Adefa, o desempenho do setor reflete compromisso das fabricantes de aumentar os volumes de produção, o que também impulsiona maior presença do veículo nacional nas vendas domésticas. “É importante destacar que tanto a produção quanto as exportações, principais pilares da nossa indústria, apresentam volumes superiores aos registrados no período pré-pandemia.”

Também as vendas para as concessionárias cresceram. No mês passado, a rede recebeu 26 mil automóveis e comerciais leves, 7% a mais em relação às entregas de julho, de 24,3 mil unidades, e 8% superior na comparação com os 28,3 mil veículos faturados em agosto do ano passado.

No acumulado dos oito primeiros meses, a rede absorveu 222,8 mil unidades, volume 28,1% maior em relação há um ano, quando contabilizou 172,9 mil veículos.