A Mercedes-Benz e a Bosch iniciaram neste semestre as obras de ampliação do Centro de Testes Veiculares de Iracemápolis (CTVI), no interior paulista, que passará a atender clientes de veículos leves e de máquinas agrícolas, além de pesados, para avaliações de segurança, eficiência energética e novas tecnologias de assistência ao condutor. O número de pistas passará de 17 para 22.

Cerca de 150 trabalhadores de grandes empresas do setor de infraestrutura participam do empreendimento, fruto da parceira entre a fabricante de caminhões e ônibus com um dos maiores sistemistas do País, envolvendo investimento total de R$ 94 milhões. Por causa dos desafios imprevistos trazidos pela pandemia da Covid-19, o novo centro só deverá entrar em operação no primeiro semestre do ano que vem.

“Ao oferecer essa nova estrutura para outras empresas do setor automotivo, contribuímos para o desenvolvimento da indústria automotiva brasileira, comenta Karl Deppen, presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO América Latina. “Com o importante diferencial de que toda a estrutura estará concentrada em um único local, otimizando processos e assegurando ganhos de eficiência, agilidade e produtividade, com segurança e confiabilidade”.

Segundo o executivo, haverá boxes de oficina de protótipos e escritórios individuais, a fim de assegurar privacidade e confidencialidade para todos os usuários e projetos, com estrutura similar às existentes em países como Alemanha, Estados Unidos, China e Japão.

Dentre os testes, serão oferecidos ensaios para desenvolvimento de sistemas de segurança veicular e controle de chassi, como Programa Eletrônico de Estabilidade (ESP®), Frenagem Automática de Emergência, proteção de pedestres e ciclistas (AEB) e Sistemas Avançados de Assistência ao Condutor (ADAS), além de eficiência energética e de condução autônoma e semiautônoma.

LEIA MAIS

Mercedes-Benz conta trajetória de pioneirismo e inovação

Anúncio

Karl Deppen recebe novas atribuições da Daimler, mas fora do Brasil

Reposição da Bosch espera crescer 12% no Brasil em 2021

Atualmente em um terreno de 1,3 milhão de metros quadrados, o Campo de Provas da Mercedes-Benz, inaugurado em 2018, dispõe de 17 pistas, numa extensão total de 12 quilômetros. No CTVI serão agregados mais cinco complexos, ocupando 400 mil m², incluindo um circuito oval com 2,6 km, três faixas de rolagem, uma faixa de acostamento e curvas compensadas para altas velocidades.

O novo centro também terá um VDA (Vehicle Dynamic Area) com diâmetro de 220 m para avaliação dinâmica, pistas de baixo e médio atrito, circuito de Handling com 1,6 km e níveis de elevação variados para ensaios de dirigibilidade e sete pistas de conforto com diferentes perfis de eventos.

“O CTVI nasce com um forte propósito de oferecer sua moderna e completa infraestrutura a todas as empresas do setor automotivo. A busca pelo centro de testes tem se intensificado e já mantemos conversas com diversos interessados”, informa Andreas Hueller, gestor da construção e operação do novo centro.

Besaliel Botelho, presidente da Robert Bosch América Latina, comenta, por sua vez, que há muito tempo a empresa vinha sentindo a necessidade de investir em uma área onde fosse possível testar e validar sistemas de segurança, assistência ao condutor e eficiência energética que já estão disponíveis no mercado nacional, bem como aqueles que virão por conta do Rota 2030 ou que serão demandados pelas legislações futuras.

“Depois de estudar diferentes possibilidades, encontramos na Mercedes-Benz a parceira ideal para esse projeto e juntos construiremos um Centro de Testes Veiculares que beneficiará toda a cadeia automotiva na América Latina”, conclui o executivo.


Foto: Mercedes-Benz