Por mais esforços que vem dedicando para contornar os gargalos logísticos no fornecimento de autopeças, a Volkswagen não tem conseguido evitar seguidas paralisações em sua fábricas brasileiras. Mais uma vez a falta de componentes determinou, a partir desta segunda-feira,  27, a interrupção da produção  na planta de Taubaté, SP.

Segundo o Sindimetau, Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região, cerca de 800 funcionários da unidade, responsáveis por um turno de trabalho, estão em férias coletivas por dez dias.

A montadora protocolou o aviso no Sindimetau  no último dia 10. No documento,  informou que as coletivas seriam para 2 mil trabalhadores, mas que esse número poderia ser revisto. A previsão é de retorno em 7 de outubro.

Este é o sexto período de férias coletivas na planta do Vale do Paraíba somente este ano. “Também foram registrados 11 dias de ‘shutdown’ e mais cinco dias de ‘dayoff’ (ambos com utilização do banco de horas) por falta de peças”, contabiliza o sindicato.

Em Taubaté, a Volkswagen produz os modelos Gol e Voyage, mas já anunciou investimentos e adaptações para a implantação da plataforma MQB que dará origem a novos produtos.

Anúncio

“Nos últimos meses, o time da Volkswagen América Latina tem trabalhado intensamente, em parceria com a matriz e fornecedores, para minimizar os efeitos da escassez de semicondutores para a produção em suas fábricas na região. Entretanto, o cenário atual não demostra o encaminhamento para uma solução definitiva visando a normalização do fornecimento de chips”, declarou a montadora em nota oficial.

LEIA MAIS

→ Volkswagen coloca trabalhadores de Taubaté em férias novamente

→ Setor automotivo mundial pode perder US$ 210 bilhões em 2021


 

Foto: Divulgação