A Cummins tem bons motivos para comemorar o aniversário de 50 anos no Brasil. A empresa – que inaugurou a fábrica de Guarulhos, SP, em 22 de novembro de 1971 – espera encerrar 2021 com uma produção em torno de 45 mil a 47 mil motores, o que representará expansão de 50% sobre 2020 e um volume superior ao de 33 mil unidades registrado em 2019, antes, portanto, da pandemia da Covid-19.

O presidente da Cummins Brasil, Adriano Rishi, participou nesta quinta-feira, 23, das comemorações de 50 anos de operações da marca no País, oportunidade em que fez um balanço das atividades da companhia, anunciou a criação da nova unidade de negócios New Power e também abordou os atuais desafios e as perspectivas para os próximos anos.

LEIA MAIS

New Power, a nova unidade de negócios da Cummins na região

Aos 50 anos, Cummins transforma por completo a fábrica de Guarulhos

Cummins acumula investimento de R$ 170 milhões no Euro VI

Anúncio

“Estamos investindo R$ 65 milhões este ano no Brasil, dos quais R$ 16 milhões na modernização do nosso complexo industrial. Só no Euro VI, na soma dos últimos anos, o aporte chegou a R$ 170 milhões. Enfrentamos hoje os desafios do desabastecimento e do aumento exponencial dos custos, mas acreditamos que continuaremos crescendo em 2022, algo na faixa de 5% a 10%, projetou Rishi.

Ele também falou sobre eletrificiação, célula de combustível e hidrogênio, lembrando que na área de híbridos o Brasil tem recursos importantes, como os biocombustíveis, com destaque para o etanol: “Não há um tecnologia única como resposta para tudo. Nosso objetivo é ajudar a navegar nesta fase de transição, ouvir os clientes e oferecer o que for mais adequado para cada aplicação”.

Com a unidade New Power a Cummins pretende avançar em motores a diesel e a gás cada vez mais limpos, elétricos, célula de combustível e hidrogênio, parte fundamental de sua estratégia carbono zero que visa impulsionar um Brasil mais próspero e sustentável.


Foto: Divulgação/Cummins