Responsável por 1/3 das vendas de automóveis do mercado brasileiro há dez anos, o segmento de entrada, aquele formado pelos modelos mais acessíveis, está cada vez mais enxuto. Com a saída de linha no ano passado do VW up!, Toyota Etios e mais recentemente do Fiat Uno, essa faixa vai se restringir a praticamente três produtos a partir deste ano.

A competição se dará entre Volkswagen Gol, Fiat Mobi e Renault Kwid, que fecahram 2021, nessa ordem, no topo do segmento. Dos três, o único que perdeu participação foi o veterano Gol, que, apesar de ainda líder, teve vendas reduzidas em 6,9%, de 71,1 mil para 66,2 mil unidades.

Sua fatia no segmento ficou em 31,74%, com o pequeno da Fiat chegando bem próximo em volume e participação de 31,56%. O Mobi totalizou 65,8 mil emplacamentos no ano passado, com expressivo aumento de 41,2% sobre o ano anterior (46,6 mil unidades).

 

Também as vendas do Kwid cresceram, mas em índice maior. O compato da Renault atingiu 52.916 licencimaentos, expansão de 6,9% sobre os 46.619 de 2020. No total, o segmento de entrada totalizou 208.671 emplacamentos em 2021, pequeno crescimetno de 1,4% sobre o ano anterior (205.726). Sua fatia no mercado total de automóveis passou de 12,7% para 13,4%. Esse índice era de 32,7% em 2011 e de 20,6% há cinco anos.

Há quem diga que o segmento de entrada possa acabar. Afinal, segmentos como o hatches médios, station wagon e o de movolumes praticamente deixaram de existir após o advento dos SUVs, hoje responsáveis por mais de 42% das vendas de automóveis.

Mas o fato de Mobi e Kwid estarem ganhando espaço no mercado total pode sinalizar que há um espaço – mesmo que na faixa de 10% a 15% – para os chamados compactos mais baratos, que atendem, dentre outros, consumidores que nunca tiveram um carro 0 km, assim como locadoras e frotistas.

Os dois modelos, apesar de estarem entre os mais baratos do mercado, enquadram-se nas novas normas de segurança e emissão de poluentes vigentes no País. Já o Uno, por exemplo, saiu de linha por não atender o Proconve L-17, que entrou em vigor dia 1º de janeiro. Dentre outros carros do segmento que saíram de linha nos últimos anos estão Fiat Palio, Chevrolet Celta e a primeira geração do Ford Ka.

Anúncio

Apesar da saída de linha de todos esses modelos e dos poucos lançamentos na década passada, vale lembrar que a Volkswagen já sinalizou que pretende investir em um modelo compacto mais acessível e a Renault acaba de anunciar novidades em design e tecnologia na linha 2022 do Kwid. Produzido no Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais (PR), o modelo será lançado no próximo dia 20 de janeiro.

“O Kwid é um carro inovador que agrada pelo seu design SUV, segurança, conectividade e baixo consumo de combustível. Sabemos que a valorização de um veículo depende de vários fatores, como a satisfação do cliente com o produto e com o atendimento dos concessionários na venda e no pós-venda”, comentou Bruno Hohmann, vice-presidente comercial da Renault do Brasil, quando o modelo recebeu o do selo Maior Valor de Revenda – Autos, na categoria “Entrada”, em premisão do AutoInforme em parceria com a TextoFinal.


Foto: Divulgação/Fiat/Renault