Estudo da J.D.Power ouviu 77,5 mil consumidores

Por Redação

Os veículos da Kia estão com o conceito de qualidade – e o moral – elevado nos Estados Unidos! A consultoria J.D.Power acaba de conceder à marca sul-coreana a mais alta distinção de seu estudo IQS, Initial Quality Study, naquele país pelo segundo ano consecutivo.

A montadora registrou apenas 72 problemas para cada 100 veículos. É o melhor índice da marca nos últimos vinte anos do levantamento e, avalia a própria empresa, foi impulsionado por cinco prêmios individuais por segmento: para o Soul (MPV compacto), Cerato (sedã pequeno) , Cadenza (sedã grande), Niro (SUV pequeno) e Sorento (SUV médio).

A pontuação colocou a Kia à frente dos veículos da Genesis, que registraram 77 defeitos para cada 100 veículos, da Porsche, 78  por 100,  Ford e Ram , ambas com 86 por 100. A média de todas as marcas chegou a 97 defeitos.

O trabalho anual da consultoria ouviu quase 77,5 mil proprietários de 243 modelos divididos em 26 segmentos. Os entrevistados avaliaram seus veículos no que diz respeito a critérios como experiência de condução, motor, desempenho de transmissão e problemas de qualidade relatados pelos próprios proprietários durante os primeiros noventa  dias de uso. No estudo deste ano, a qualidade melhorou em sete das oito categorias avaliadas , com 27 das 33 marcas melhorando sua qualidade na comparação com os índices de 2016.

O Soul ganhou o IQS de sua categoria pelo terceiro ano consecutivo. Já Cadenza e Niro, os dois mais novos modelos da marca, foram reconhecidos logo no primeiro ano de vendas no mercado americano. O Cadenza ainda obteve a melhor nota entre todos os modelos analisados no estudo.

Anúncio

No Brasil – Não por outro motivo o empresário José Luiz Gandini, presidente da Kia Motors do Brasil, acompanha ansiosamente, com o calendário nas mãos, o passar dos dias para também poder contar com produtos que reforcem a imagem e o caráter qualitativo do atual portfólio.

É que no primeiro dia de 2018 os veículos importados de empresas sem produção local, como os Kia, deixarão de recolher os 30 pontos de IPI adicionais criados com o Inovar-Auto. Com isso, ficará mais fácil, ou menos complicado – até porque os veículos continuarão a recolher 35% de imposto de importação e o dólar deve seguir no atual patamar –, ter novos e mais produtos aqui com preços mais competitivos.

Gandini já confirmou que ao menos quatro novos veículos ganharão as ruas brasileiras em 2018: o novo Picanto, o Rio, um SUV de pequeno porte – muito provavelmente o recém-revelado Stonic, derivado da plataforma do Rio – e o Optima GDI. Com eles, algumas outras surpresas e mais atual gama livre da limitação da cota de 4,8 mil unidades anuais, o executivo espera ao menos dobrar as vendas da marca aqui. Das projetadas 10 mil unidades de 2017, para algo como 20 mil veículos.


Foto: Divulgação/ Kia