Por Redação

O faturamento líquido da indústria de autopeças caiu 6% em junho com relação a maio, mas no acumulado do semestre apresenta crescimento de 16,3% em relação ao mesmo período de 2016. De acordo com o Sindipeças, o aumento ocorreu nas vendas para montadoras, mercado de reposição e negócios intrassetoriais.

No caso das exportações, houve queda em em real de 9,7% no semestre, devido à valorização da moeda local, mas em dólar verifica-se crescimento de 5,2%. O nível de utilização da capacidade manteve-se estável em 66% em junho e o nível de emprego apresentou pelo segundo mês consecutivo crescimento em relação ao mesmo período de 2016, embora no comparativo de janeiro com junho registre retração de 2,1%.

Na avaliação do Sindipeças, a queda de faturamento em junho com relação a maio deve-se à instabilidade política provocada pelo acirramento da crise política após delação premiada de executivos da JBS e pelo julgamento da chapa Dilma-Temer pelo STE, Superior Tribunal Eleitoral. Em maio sobre junho o setor havia crescido 18,6%.

Anúncio

O Sindipeças destaca que neste mesmo comparativo de junho com maio a produção de autoveículos encolheu 15,4%, de acordo com a Anfavea, ‘”confirmando a reação negativa dos atores econômicos, num primeiro instante, ao agravamento da crise política”.  As vendas para montadoras recuaram 9,8% em junho com relação ao mês anterior, enquanto os negócios na reposição caíram 4,8% e os intrassetoriais recuaram 8,1%.