Por Redação

A produção de uma picape da Hyundai nos Estados Unidos é certa, segundo as agências internacionais. Citam até  Michael J. O’Brien, vice-presidente de planejamento corporativo e produto da montadora nos Estados Unidos, que teria admitido que a  empresa já autorizou sua engenharia a desenvolver um veículo semelhante ao conceito exibido há mais  de dois anos com o nome Santa Cruz.

A decisão de produzir a primeira picape da marca é quase uma imposição mercadológica. Decorre, afirmam analistas, do desejo dos concessionários locais da Hyundai,  preocupados com a queda na demanda pelos  sedãs Sonata e Elantra. Inicialmente, a ideia era fabricá-la somente a partir de 2020, mas os planos podem ser revistos e o cronograma, antecipado.

A Hyundai registrou queda de 11% nas vendas acumuladas até julho nos Estados Unidos, muito acima do recuo médio de 2,9% do mercado. Só  as vendas do Sonata despencaram 30% no período. Em compensação, os negócios com crossovers da marca coreana aumentaram 11%.

E é exatamente essa robustez do desempenho de mercado dos SUVs e crossovers que a Hyundai pretende replicar no segmento de picapes, o grande filão do mercado estadunidense que, no total, superou 17,5 milhões de unidades no ano passado

O conceito Santa Cruz, desenvolvido sobre a plataforma do utilitário esportivo ix-35, foi exibido no Salão de Detroit de 2015 e já naquela época a própria empresa deixava claro que era uma questão de tempo sua entrada em linha de produção.

Anúncio

A proposta sugeria um veículo muito mais dedicado ao lazer do que ao trabalho, já que dispunha de cinco lugares e perfil mais esportivo do que robusto. Sem, obviamente, os excessos estílísticos vistos no estande da principal mostra automotiva dos Estados Unidos, o Santa Cruz tem tudo para agradar os aficionados por picapes.

E aqui? – A decisão de produzir picapes nos Estados Unidos não deixa de ser também uma esperança para quem   esteve no último Salão do Automóvel de São Paulo, no ano passado, e se deparou com outro interessante estudo da montadora para o segmento.

 

Ofuscada pelos lançamentos dos utilitários esportivos Creta e New Tucson, lá estava a Creta STC, picape-conceito de cabine estendida montado sobre a plataforma do Elantra.

A montadora disse na época que o projeto, desenvolvido na matriz, era penas um exercício de desenho.  De qualquer forma, pelo porte e proposta do modelo, seria natural concorrente da Fiat Toro, picape líder de vendas do mercado brasileiro desde seu lançamento, e da Renault Oroch.

Mas para colocar mais um veículo em produção no Brasil a Hyundai teria que investir pesado. Sua fábrica de Piracicaba (SP) trabalha no limite da capacidade produtiva de 180 mil unidades anuais só com HB20 e o utilitário esportivo Creta,  no mercado há apenas sete meses.


Fotos: Divulgação/ Hyundai/Arquivo Pessoal