Por Redação | autoindustria@autoindustria.com.br

Pouco mais de três meses depois da consolidação de sua aquisição por parte do Grupo PSA, a Opel Automobile, que  engloba também a marca inglesa Vauxhall, apresentou nesta quinta-feira, 9, o plano estratégico PACE!, que, segundo nota oficial, objetiva “restaurar os fundamentos financeiros da empresa e melhorar a competitividade e o crescimento sustentáveis”.

Ao lado de Carlos Tavares, CEO do Grupo PSA,  Michael Lohscheller,  principal executivo da Opel apresentou uma longa série de iniciativas  para alcançar sobretudo dois objetivos mais imediatos: gerar fluxo de caixa livre operacional positivo e margem operacional corrente da divisão automotiva de 2% até 2020 e de 6% até 2026. Todas as medidas contribuirão para reduzir o ponto de break-even financeiro da Opel/Vauxhall para 800 mil veículos, afirmou o executivo.

“Este plano fará da Opel-Vauxhall uma empresa sustentável, rentável, eletrificada e global. Nosso futuro estará assegurado e a excelência alemã contribuirá para o desenvolvimento do Grupo PSA”, acrescentou Lohscheller, que assegura que o plano foi  concebido com a intenção de preservar todas as fábricas e de evitar as demissões forçadas na Europa.

Anúncio

A Opel-Vauxhall se candidata agora a se tornar líder europeu em emissões de CO2. A ideia exposta por Lohscheller é de que até 2024 todas as linhas de veículos de passageiros das duas marcas oferecidas na Europa sejam eletrificadas, podendo dispor de motores integralmente elétricos ou híbridos plug-in.  Já em  2020 serão quatro linhas eletrificadas, incluindo a  da nova geração do Corsa, que ganhará versão totalmente elétrica.

A empresa diz que melhorará sua competitividade até 2020, reduzindo  seus custos em € 700 euros por veículo, com mudanças e aprimoramento de processos industriais e administrativos, além de maior racionalidade financeira e das sinergias com as demais empresas do Grupo PSA que devem gerar econo mias de € 1,7 bilhão em oito anos.

A começar pela otimização de plantas e comunização de componentes e  plataformas, como as CMP e EMP2 da PSA, que serão utilizadas  em todas as fábricas da Opel. Da EMP2,  já numa primeira etapa de integração, sairá  um SUV em 2019.

Todos os novos veículos da Opel-Vauxhall serão desenvolvidos pelo centro de P&D de Rüsselsheim, Alemanha, que será transformado em um centro de competência global para todo o Grupe PSA. O número de plataformas utilizadas pela Opel eVauxhall emveículos de passageiros será reduzido das atuais nove para duas  até 2024. As famílias de motores também serão otimizadas, passando de dez para quatro.

Em mais seis anos todos os modelos de veículos de passageiros da empresa contarão com as arquiteturas da PSA. Muito deles chegarão ao mercado antes disse: a montadora projeta apresentar  nove modelos até o fim da década e ingressar em mais de vinte novos mercados de exportação até 2022.


Foto: Divulgação/Opel