Por Redação

Andar em um Volvo XC90 é para bem poucos. Em especial no Brasil, onde o luxuoso e tecnológico SUV da montadora sueca tem preços que superam os R$ 400 mil. Mas esse privilégio pode ser democratizado em futuro não tão distante, pelo menos em outros países.

Isso porque a Volvo Cars, uma das empresas do conglomerado chinês Geely, acaba de assinar acordo com o Uber para fornecer, a partir de 2019 e por três anos, cerca de 24 mil unidades do modelo já compatíveis com tecnologias para condução autônoma. O negócio é estimado em US$ 1,4 bilhão.

“A indústria automotiva está sendo redefinida pela tecnologia e a Volvo Cars escolheu ser uma parte ativa dessa disrupção”, disse Håkan Samuelsson, CEO mundial. “Nosso objetivo é ser o fornecedor de veículos com direção autônoma para provedores globais de serviços de compartilhamento de viagens. Este acordo com o Uber é um exemplo primordial dessa estratégia.”

Anúncio

As duas empresas já têm parceria desde agosto do ano passado. O Uber vem testendo algumas unidades autônomas do XC90  nos Estados Unidos, mas no entender de Jeff Miller, chefe de alianças automotivas da empresa norte-americana de compartilhamento de veículos, o novo contrato “coloca a indústria no caminho para a produção em massa de veículos autônomos”.

Os engenheiros da Volvo Cars trabalharam em  colaboração com o departamento de engenharia do Uber para desenvolver o utilitário esportivo XC90. O veículo incorpora as tecnologias necessárias para que o Uber incorpore  sua própria tecnologia de condução autônoma.

Ao mesmo tempo em que atende ao Uber, a montadora sueca usará essa experiência como base para seu programa de desenvolvimento de sua própria estratégia de carros autônomos. O primeiro modelo da marca totalmente autônomo deve chegar às ruas já no transcorrer de 2021.


Fotos: Divulgação