Por Redação

A China, já o maior mercado de veículos mundial, seguirá como a bola da vez das montadoras por muitos anos ainda. Pelo menos é o que sinaliza a Ford, por intermédio do próprio Bill Ford, presidente de seu conselho administrativo, e de Jim Hackett, presidente mundial.

Bill Ford diz que o progresso obtido na China será apenas o começo

Ambos se deslocaram até a Oriente para anunciar a ampliação da produção local e lançamento de mais de cinquenta modelos na China nos próximos oito anos.

E terá de tudo um pouco para o ávido consumidor chinês. A empresa tem planejados oito SUVs e pelo menos quinze veículos elétricos das marcas Ford e Lincoln. Um deles já foi antecipado pelos executivos: será o primeiro utilitário esportivo compacto totalmente elétrico da Ford.

Anúncio

Além desses produtos, sairá do papel ainda uma linha de veículos elétricos mais acessíveis da joint-venture Zotye-Ford. Para isso, será lançada uma nova marca.

“A China não é só o maior mercado de automóveis do mundo, ela é o coração do crescimento de veículos elétricos e SUVs e do movimento de mobilidade”, disse Bill Ford durante o encontro com os executivos da operação chinesa da montadora. “O progresso que alcançamos na China é apenas o começo.”

“A Ford quer se tornar a empresa de mobilidade mais confiável do mundo. Estamos muito empolgados em ver essa visão ganhar vida na China”, acrescentou Hackett.

A empresa definiu três frentes para alcançar esse objetivo no mercado chinês: desenvolver veículos mais inteligentes e conectados, ter uma relação mais próxima com os clientes chineses e uma estrutura de negócios simplificada. Para isso, pretende conter os custos estruturais, ter maior eficiência operacional e aumentar sua atual receita em 50% até 2025.

Segundo comunicado, já em 2019 todos os novos veículos da montadora na China estarão conectados à internet. A empresa também encaminha projetos de veículos autônomo com o Baidu, site de busca chinês, e trabalha na criação de rede de recarga, compartilhamento e manutenção dos veículos elétricos.


Foto: Divulgação /Ford