Por Joel Leite

Mas base de comparação é fraca

O ano começou bem para o mercado automobilístico. Mesmo sendo tradicionalmente o mês mais fraco, este janeiro rendeu  175.545 veículos negociados, crescimento de 22,3% sobre janeiro do ano passado. As vendas diárias também tiveram um aumento expressivo: foram 7.980 este ano, contra 6.528 no primeiro mês de 2017.

Embora bem acima das projeções traçadas pela Anfavea para este ano, o forte aumento porcentual já era esperado pelos fabricantes, pois a comparação é feita com um dos piores períodos do setor. “O primeiro semestre do ano passado foi muito fraco, por isso já esperávamos um crescimento expressivo em janeiro, e que deve se repetir nos próximos meses”, disse Antonio Megale, presidente da Anfavea.

Os fabricantes acreditam que esse nível de crescimento pode se manter no primeiro semestre e, no total do ano, a estimativa é de um aumento de 11,3% nas vendas de carros e comerciais leves. Sobre dezembro, quando foram comercializados 204.851 veículos, houve queda de 14,3%, o que também era previsível, já que dezembro é um dos melhores meses do ano.

A GM começa mostrando que deve repetir a liderança este ano. Ficou com 19,3% de participação, com 33.903 veículos vendidos. A Volkswagen somou 26.345 e conquistou  o segundo lugar com 15%, comea Fiat em terceiro, com 23,4 mil unidades e 13,3%.

A Ford voltou ao quarto lugar, depois de ter perdido por meses seguidos a posição no ano passado, ora para a Hyundai, ora para a Toyota. As três marcas tiveram volume de vendas bem próximos. A Hyundai fechou janeiro com  14.705 veículos e 8,4% na quinta posição, seguida pela montadora japonesa que negociou 14.213 unidades, equivalentes a  8,1% do mercado. overam na seuência Renault, 11.147 e 6,4%,  Honda, 10.070 e 5,7%,  Jeep, 7.069 unidades e 4%, e  Nissan, 6.762 veículos e 3,9% de participação.

Anúncio

•Polo é o quarto mais vendido

O destaque do ranking de vendas em janeiro foi o Volkswagen Polo, que, com apenas dois meses no mercado, já é o quarto carro mais vendido no Brasil. Foram negociadas 6.633 unidades do hatch, que ficando atrás apenas do Chevrolet Onix, Ford Ka e Hyundai HB20.

Líder no ano passado, o Onix começou 2018 detonando: vendeu 16.058 unidades, mais do que o dobro do segundo colocado. Quer dizer: de cada dez carros vendidos  Brasil, um é Onix, ou quase isso. 

O segundo colocado também é surpresa: depois de se manter solidamente como o segundo mais vendido no Brasil em 2017, o Hyundai HB20 cedeu o lugar para o Ford Ka em janeiro. Mas a diferença não é grande: o Ka vendeu 7.656 unidades e o HB20 7.436. 

Na quinta, sexta e sétima posições,aparecem velhos campeões de venda: Chevrolet Prisma, Vokkswagen Gol e fiat Strada. Em oitavo lugar surge o Fiat Argos, seguido pelo também Fiat Mobi. A lista dos dez mais se encerra com o Jeep Compass. 

O destaque negativo é para o Corolla, que durante todo o ano passado figurou entre os mais vendidos e que começa 2018 fora da lista dos Dez Mais: o sedã da Toyota vendeu 4.486 unidades em janeiro e ficou apenas com a 11ª posição. A picape Toro e o utilitário esportivo HR-V também ficaram fora do time principal.

Vale lembrar que janeiro é um mês atípico, com muitas montadoras iniciando o ano em férias coletivas, desajustes nos estoques e que, portanto, esse quadro pode mudar radicalmente nos próximos meses. Vamos acompanhar.

* Joel Leite é jornalista, palestrante e criador da Agência AutoInforme, agência especializada no setor automotivo