jac

 

Por George Guimarães, de Itu (SP) | george@autoindustria.com.br

Sete meses depois de estrear no mercado brasileiro, o JAC T40 ganha importante atributo na briga pelo segmento de SUVs compactos: o modelo chinês tem agora câmbio CVT.  Em uma única versão de acabamento, com motor 1.6 a gasolina, e apenas pintura bicolor como opcional, o T40 CVT custa R$ 69.990,00.

O Grupo SHC, importador oficial da JAC, já distribuiu as primeiras unidades da nova versão para sua rede de trinta concessionárias. Sérgio Habib, presidente da empresa, calcula que a nova versão deve responder por mais de dois terços das vendas do modelo já nos próximos meses.

O executivo lembra que, dos  mais de 326 mil SUVS com preços até R$ 100 mil vendidos no mercado interno no ano passado, 83% dispunham de transmissão automática. “O Brasil claramente está virando um mercado de veículos automáticos”, diz Habib.

Com a chegada da nova versão do SUV, que já vinha respondendo por 70% dos emplacamentos da JAC, mais o lançamento em julho do T50, na verdade um face lift do atual T5, outro utilitário esportivo, Sérgio Habib projeta vender média de stecentos a oitocentos veículos por mês, esbarrando nas 8 mil unidades em 2018  —  quase o dobro, portanto, do que registrou no ano passado.

Além do câmbio CVT, que simula seis marchas, a nova versão do T40 se diferencia pelo motor a gasolina 1.6 de 138 cavalos — o T40 com transmissão manual dispõe de um 1.5 bicombustível. Habib, contudo, antecipa que o 1.6 flex já está programado para desembarcar por aqui nos próximos meses.

Anúncio

 

De resto, o T40 tem agora ar-condicionado com regulagem automática de temperatura, revestimento em couro sintético nos bancos, sensor de estacionamento dianteir, sistema start-stop e novo painel de instrumentos. E um diferencial do modelo no mercado interno: câmera frontal que registra, inclusive com áudio, todos dos percursos que o carro faz. Imagens que podem ser vistas posteriormente por meio de aplicativo no celular.

Leia mais

→JAC confirma fábrica em Goiás

→Grupo SHC e PSA rompem relação de três décadas

→JAC vende 43% a mais em 2017

O pacote de itens de série engloba ainda, dentre outros dispositivos, piloto automático, airbag duplo, controles de estabilidade e de tração, assistente de partida em rampa, monitoramento de pressão dos pneus e câmera de ré.

Produtos, fábrica e HPE – Depois do T50, que deve chegar às revendas em julho, o Grupo SHC pretende lançar no mercado brasileiro o T80, um SUV ainda maior, e também uma picape a diesel com tração 4×4 no começo do ano que vem.

“Mas ainda estamos estudando qual motor traremos na picape”, diz o presidente da empresa, que não confirma ainda a importação do T-20, modelo menor da marca. Com o dólar na faixa de R$ 3,20 a R$ 3,40, calcula Habib,  um carro importado de entrada tem pouca competitividade no mercado brasileiro.

O executivo, porém, refirmou que o T40 será o primeiro modelo montado na futura fábrica da empresa em Itumbiara (GO) a partir do começo de 2020. Um passo importante para o projeto será dado esta semana: o Grupo SHC deve assinar contrato com a HPE Automotores, a fabricante dos modelos da Mitsubishi em Catalão (GO), para fornecimento de serviços de pintura.

Ou seja: as carrocerias dos futuros JAC nacionais serão pintadas pela HPE e enviadas para Itumbiara, a cerca de 200 quilômetros, onde receberão powertrain e todos os demais componentes.


Fotos: Divulgação/ JAC/AutoIndústria