A Caoa Chery fez o pré-lançamento do Arrizo 5 (pronuncia-se Arizo), seu mais novo produto a ganhar uma linha de montagem na fábrica de Jacareí (SP), o terceiro a ser produzido na unidade, além do QQ e do SUV Tiggo 2. O sedã será uma das estrelas da marca no Salão do Automóvel e marcará o início das vendas do modelo. Ainda sem preço oficialmente definido, o carro se posicionará em faixa de R$ 69 mil a R$ 79 mil “Ainda estamos debruçados na análise de custos para estabelecer o preço”, justifica Marcio Alfonso, CEO da fabricante.

Segundo Alfonso, o modelo chega para disputar mercado considerado estável, em torno de 500 mil unidades/ano. O executivo enxerga o Volkswagen Virtus, o Honda City e o Toyota Yaris seus principais rivais. “Temos mais conteúdo para entregar com o Arrizo do que a concorrência com preço mais acessível”, garante o CEO. “E devemos incomodar também o (Toyota) Corolla e o (Honda) Civic.”

LEIA MAIS

→Caoa Chery amplia vendas em 86,4% no ano

→Caoa Chery inicia a produção do Arrizo em outubro

→Tiggo 2, o primeiro Caoa Chery

→Caoa Chery: a nova marca brasileira de veículos.

O Arrizo 5 começará a chegar ao mercado em novembro a partir de duas versões: RX e RXT. A segunda, topo de linha, se diferencia da primeira somente pela inclusão de airbags laterais, teto solar, revestimento interno de couro e rodas de liga de 17 polegadas, enquanto a RX vem com 16 polegadas. Ambas as variantes, porém, entregarão um extenso pacote de equipamentos e itens de conveniência, do sistema de destravamento de portas por aproximação à central multimídia por tela 7 polegadas capaz de espelhar smartphones passando por ar-condicionado eletrônico.

Anúncio

A novidade da Caoa Chery vem equipada com motor Flex 1.5 turbo que desenvolve 150 cv (abastecimento com etanol) e torque de 19,4 kgfm. O trem de força ainda trabalha com câmbio automático CVT fornecido pela Aisin.

Para o modelo a Caoa Chery estima vender em torno de 500 unidades/mês a partir do início da distribuição à rede de concessionárias. O carro é peça importante da empresa em sua busca de mais participação no mercado. Desde de que a Caoa assumiu a operação brasileira da Chery, em novembro do ano passado, a marca vem mostrando bem mais resultados daqueles registrados antes da parceria.

Na ocasião do anúncio do negócio entre as companhias, a Chery vendeu pouco mais de 280 unidades, em agosto passado a Caoa Chery superou os 1 mil automóveis vendidos. Se no ano passado a marca acumulou 3,7 mil emplacamentos, a estimativa para este ano é superar as 10 mil unidades vendidas. “A meta é incomodar a concorrência”, diz Alfonso e exemplifica o desempenho: “Em abril fechamos com 0,16% de share, no mês passado já computamos 0,59%”.

Ao olhar para a frente, o CEO também se esforça para ampliar a rede de concessionárias. Segundo o executivo, das 25 casas estabelecidas antes da Caoa assumir os negócios, deve saltar para 100 endereços em pouco tempo, “porque já temos setenta novos pontos confirmados”, revela.

Para ganhar a linha de montagem de Jacareí, o Arrizo 5 promoveu alterações na fábrica e a necessidade de mais 200 empregados. “Na virada do ano devemos contratar mais 150”. Atualmente, a unidade emprega seiscentas pessoas e produz em torno de 1,2 mil unidades/mês.


Fotos: Caoa Chery/Divulgação