A unidade industrial da Renault em São José dos Pinhais (PR), conhecida como Complexo Ayrton Senna, atingiu a marca de 4 milhões de motores produzidos no País, desde que inaugurou a CMO, a Curitiba Motores, em dezembro de 1999. Do volume total, 40% foram exportados.

A fábrica, com 550 trabalhadores, tem capacidade atual para produzir 600 mil motores/ano e é responsável pela produção dos motores 1.0 SCe e 1.6 SCe, presentes em todo a linha de automóveis da marca no País.

LEIA MAIS

→Renault do Brasil recicla 100% dos componentes plásticos

→Renault já produz blocos e cabeçotes de alumínio no Paraná

→Renault acelera produção do Kwid no Paraná

Anúncio

A CMO nasceu com capacidade para 280 mil unidades/ano para produzir o motor 1.6 16V dos modelos Scénic, Clio e Clio Sedan, ofertado no Brasil, além de seguir para Argentina para equipar a linha Mégane. Em 2000, seu primeiro ano cheio, somou 30 mil motores produzidos, e passou a montar também o motor 1.0  16V. Logo depois, a fábrica absorveu os motores 1.0 8V e 16V e o 1.2 16V, exclusivo para exportação.

Desde 2016, a unidade incorporou o atual portfólio de motores. Feitos de alumínio, os 1.0 SCe e 1.6 SCe são 20 kg e 30 kg mais leves que seus antecessores. Além de fabricar motores, a CMO também produz desde 2001 blocos, cabeçotes, virabrequins e calas para os mercados interno e externo.


Foto: Renault/Divulgação