Desde que iniciou atividades produtivas em Goiana (PE), em 2015, o chamado Polo Automotivo Jeep contabiliza a produção de 500 mil veículos. Inicialmente,  produzindo o Jeep Renegade, a primeira razão de a unidade existir, logo em seguida com a picape Fiat Toro, e mais recentemente com o Jeep Compass. Os três modelos se destinam tanto ao mercado brasileiro como são exportados para países da América Latina.

O volume alcançado mereceu homenagem da empresa, com a presença de Antonio Filosa, presidente da FCA para a América Latina, a funcionários que acompanharam o início da empreitada da companhia em local até então sem nenhuma vocação automotiva.

LEIA MAIS

→FCA negocia com 38 fornecedores a ida para o Nordeste

→FCA fatura € 1,98 bilhão na América do Sul no terceiro trimestre

Anúncio

→Jeep Renagade 2019 ganha conteúdo e é mais barato

Atualmente a unidade pernambucana, com capacidade instalada para 250 mil unidades/ano, trabalha desde março em regime de três turnos para despejar no fim da linha de montagem 930 veículos/dia. O complexo ainda abriga um parque com dezesseis fornecedores instalados.

Responsável por empregar 13,6 mil pessoas, a unidade é foco no ciclo de investimento de R$ 14 bilhões que a FCA aportará no Brasil entre 2018 e 2023 para desenvolvimento de veículos, tecnologia e modernização de produtos.


Foto: FCA/Divulgação