Afábrica da FCA em Campo Largo, PR, está lançando o Projeto FCA Araucária, de conservação de área natural e educação ambiental. “Ao mesmo tempo em que buscamos o crescimento e rentabilidade para nosso negócio, estamos dedicados ao enraizamento cada vez mais profundo de uma cultura de sustentabilidade”, comenta o diretor industrial powertrain da Fiat Chrysler Automobiles para a América Latina, Claudio Rocha.

Pioneira no Paraná na obtenção do certificado Amigo do Clima nos escopos 1, 2 e 3, reconhecido pela ONU, Organização das Nações Unidas, a planta de motores paranaense é responsável por fornecer motores E.TorQ para os principais modelos das marcas Fiat e Jeep produzidos no Brasil, além de exportar 28% de sua produção para Itália, Turquia e Argentina. Está localizada em um terreno de 125 hectares, dos quais 106 hectares abrigam um importante remanescente da floresta natural com araucária.

“Com o Projeto FCA Araucária, reforçamos nosso compromisso com as futuras gerações ao impulsionar atitudes de transformação para preservar o meio ambiente, gerando valor para a comunidade”, destaca o gerente geral da planta, Querlem Saraiva, lembrando que no Paraná a floresta com araucária está à beira da extinção. Atualmente, restam apenas 3% da vegetação original.

Com o desafio de engajar as crianças na tarefa de multiplicar conceitos e práticas ambientais, a FCA Fábrica Motores Campo Largo, em ação voluntária, recebe turmas do 3º ano do ensino fundamental do ensino público, com idade entre 7 e 8 anos, para uma imersão na área verde, que se transforma em uma sala de aula a céu aberto.

Anúncio

O ponto de partida da aventura é a Casa da Floresta, construída com técnicas e materiais sustentáveis, com apoio do BNDES. No centro de visitantes, que ocupa um espaço de 250 metros quadrados, os alunos descobrem a importância da iluminação natural, aproveitamento da água da chuva e, com as mãos na terra, aprendem técnicas de cultivo sustentável.

“Construímos uma horta mandala, que tem formato circular e permite o melhor aproveitamento do espaço e da água na irrigação. Conseguimos ter uma produção mais concentrada e diversificada”, explica a coordenadora do Projeto FCA Araucária, Daniela Vesoloski.

A Casa da Floresta também é a porta de entrada para a Trilha das Araucárias, onde as crianças têm a oportunidade de explorar a rica biodiversidade local. A trilha é dividida em sete pontos interpretativos, onde são apresentados diversos temas, como a importância do ecossistema e a inter-relação do solo e da água, em dinâmicas interativas.

Segundo Daniela, uma das tarefas para instigar a curiosidade dos alunos é fazê-los desbravar a área a procura de sementes, flores, cipós, entre outros elementos da natureza. “Ouvir o som dos animais é uma das dinâmicas que as crianças mais gostam. É difícil encontrá-los, mas é muito fácil escutá-los”, completa a coordenadora.

Além da visita de escolas públicas, outros pilares do projeto são o diagnóstico e o monitoramento da floresta. Em levantamento realizado em todo a área, foram inventariadas mais de cinquenta diferentes espécies vegetais, algumas ameaçadas de extinção, como a araucária (Araucaria angustifolia) e o cedro rosa (Cedrela fissilis), além de 82 espécies de aves, como pica-pau, coruja-buraqueira e tucano de bico verde, e seis espécies de mamíferos, entre eles o veado-catingueiro. O local também abriga cinco nascentes preservadas.


Foto: Divulgação/FCA