O mercado de caminhões do ano passado foi dominado pelos pesados. Pelos números consolidados pela Fenabrave, das vendas totais de 76,4 mil unidades negociadas em 2018, 34,7 mil veículos foram de modelos da categoria, o que representou 45,5% dos licenciamentos. Não surpreende, portanto, concentrar a maior disputa do segmento.

O Scania R440, um dos representantes da categoria, protagonizou não só melhor o desempenho dentre os rivais, como também se despede do mercado com glórias de campeão. Com boa margem de vantagem, o modelo foi o mais vendido em 2018 ao somar quase 4,5 mil licenciamentos, perto de 13% de participação nas vendas de pesados.

Depois, desde que foi lançado, em janeiro de 2012, até o fim de sua produção, em dezembro do ano passado, para dar lugar à nova geração de caminhões da marca, o R440 acumulou mais de 32 mil unidades emplacadas. O volume supera o desempenho do T113, até então o campeão de vendas da história da Scania no País, oferecido entre os anos de 1991 e 1998, período no qual somou pouco mais de 26,7 mil licenciamentos.

LEIA MAIS

Scania anuncia nova geração de caminhões

Mercado de caminhões cresce 47% em 2018

Scania R440 passeou em 2017

Na vice-liderança das vendas de caminhões, o Volvo FH540 também encerra o ano com volume robusto de negócios, fechando o período próximo a 4,2 mil caminhões vendidos. O carro-chefe da fabricante de Curitiba (PR) ganhou terreno nos últimos doze meses. No fim de 2017, com 2 mil unidades negociadas, o modelo fechou o período com 10,6% de participação na categoria pesados. Ao encerrar 2018, o cavalo-mecânico da marca acrescentou à sua fatia dois pontos porcentuais e um crescimento nas vendas superior a 100%.

O terceiro lugar no ranking parece outro Volvo, o FH460, ao somar perto de 3,2 mil licenciamentos ou 9,2% de participação nos negócios de pesados. Apesar de presente na trinca do pódio, o modelo tem o Mercedes-Benz Actros 2651 como uma ameaça mais forte e presente.

O caminhão da marca de São Bernardo do Campo (SP), no quarto lugar, acumulou pouco mais 3 mil emplacamentos em 2018, alcançando 8,8% das vendas de pesados. Em 2017, no entanto, o modelo fechou o período com 719 unidades vendidas, o que representou na ocasião 3,8% dos licenciamentos da categoria. Em doze meses, portanto, o modelo experimentou um crescimento nas vendas de mais 300% e acréscimo de cinco pontos porcentuais de participação.

Anúncio

Coube ao Volkswagen Constellation 24.280 ocupar o quinto lugar dos mais vendidos e romper com a hegemonia dos pesados no topo da lista. O modelo é disparado o líder de vendas dos semipesados, com 2,9 mil unidades negociadas em 2018, abocanhando 15,3% dos licenciamentos da categoria. O volume registrado supera em mais de 1,2 mil unidades o segundo colocado dos semipesados, o Mercedes-Benz Atego 2426.

É da Volkswagen Caminhões e Ônibus outro líder incontestável entre os caminhões médios. Na sexta posição do ranking, o Delivery 11.180 encerrou 2018 no topo das vendas da categoria com mais de 2,5 mil emplacamentos, 39,6% das vendas do segmento. O desempenho somou mais de 1,3 mil unidades sobre o segundo colocado da categoria, o Ford Cargo 1119. Cabe lembrar, que o modelo da marca de Resende (RJ), um dos representantes da nova família Delivery, foi lançado oficialmente em outubro de 2017, durante a Fenatran.

O sétimo posto dos mais vendidos ficou para o DAF XF105 ao somar um pouco mais de 2 mil emplacamentos em 2018. A cada ano que passa o modelo se mostra como um competidor a ser observado. No ano passado, a marca completou cinco anos de atividades no País e seu caminhão mais vendido encerrou o período com 5,9% de participação nas vendas de pesados, 1,2 ponto porcentual a mais em relação ao encerramento de 2017.

Os três últimos postos da lista dos dez mais vendidos mostra uma acirrada disputa de caminhões leves. Do oitavo lugar, ocupado pelo VW Delivery 9.170, ao décimo, posto do Mercedes-Benz Accelo 815, a diferença é de apenas 205 licenciamentos.  O representante da marca de Resende fechou no patamar de 2 mil unidades negociadas, ou 17,6% das vendas de leves, enquanto o modelo da fabricante de São Bernardo do Campo acumulou 1,8 mil emplacamentos, participação de 15,8%. Espremido entre os dois, na nona colocação, o Mercedes-Benz Accelo 1016 terminou o ano passado com 2 mil caminhões vendidos, 17,4% do mercado de leves.


Foto: Scania/Divulgação