Com total de 1.455 unidades blindadas, a BSS Blindagens encerrou 2018 com crescimento de 8,6% sobre as 1.340 de 2.017 e projeta ampliar ainda mais seus negócios este ano, segundo revela Mário Brandizzi Neto, CEO e sócio da empresa. “Temos projeções animadoras para este ano”, destaca o empresário, estimando crescimento da ordem de 15%.

“Nossos primeiros estudos mostram que podemos chegar a 1.650 unidades blindadas em 2019. Concluímos em 2018 o investimento de R$ 4 milhões na ampliação da linha de produção, em área adicional de 1.200 m², e com isso colidamos nossa capacidade produtiva em 220 carros por mês”.

Também vai favorecer os negócios da empresa a inauguração, em novembro último, da nova área de assistência técnica, em um novo galpão de 2.100 m². O espaço destina-se somente aos serviços de pós-vendas e assistência técnica de blindados, tanto da própria fabricação como de terceiro. “Triplicamos a nossa capacidade de atendimento de 200 carros/mês para 600”, ressalta Brandizzi Neto.

A BBS é líder do setor, com cerca de 11% de participação no segmento de veículos de passeio e comerciais leves no Brasil. No caso dos veículos premium, acima de R$ 200 mil, o market share chega a 30%.

Anúncio

O resultado da empresa em 2018 representou o seu terceiro melhor ano no País. O melhor foi em 2014, quando atingiu o recorde – que pode ser quebrado este ano – de 1.589 unidades  blindadas.

Brandizzi Neto lembra que a previsão para 2018 no início do ano era blindar 1.500 unidades. “No entanto, o dólar que era cotado, na média, em janeiro, a R$ 3,20, chegou a R$ 4,19. E nossos insumos de proteção balística veicular dependem sobretudo da moeda norte-americana”, justificou o empresário.

Além disso, a empresa também sofreu os fortes impactos da greve dos caminhoneiros, em maio, da Copa do Mundo, em julho, e das eleições gerais em outubro. “Por isso, com 1.455 veículos blindados, temos muito a comemorar, pois foi o terceiro melhor desempenho da história de 11 anos da BSS”, complementa o CEO da BBS.


Foto: Divulgação/BBS