Com 7,5 mil implementos rodoviários comercializados no Brasil no ano passado, a Librelato registrou crescimento acima de 100% em relação às vendas de 2017. “Foi um dos melhores anos da nossa história”, comenta o CEO da empresa, José Carlos Sprícigo, destacando que a meta para 2019 é conquistar 20% de market share no País ante os 13% de 2018.

“A Librelato encontra-se em seu melhor momento no mercado brasileiro e internacional. Temos um portfólio completo e estamos atuando com uma linha de produtos totalmente reformulada. São implementos mais leves, mais robustos e sustentáveis, com inovações tecnológicas que oferecem maior rentabilidade à operação de transporte rodoviário de carga”, complementa o executivo.

A expansão da marca em 2018 foi bem acima da registrada pelo do setor. Segundo dados da Anfir, Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários, a indústria de implementos creceu 49,1% no ano passado.

As exportações da Librelato atingiram 1 mil unidades em 2018, destinadas ao Paraguai, Chile, Uruguai e Bolívia, volume 40% superior ao de 2017. Este ano a empresa participa de uma nova rodada de negócios na América do Sul, desta vez no Equador, por meio do MoveBrazil, Programa de Internacionalização da Indústria de Implementos Rodoviários da qual a Librelato faz parte. O programa foi lançado há três anos e conta com organização da Anfir e Apex-Brasil, Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos.

Anúncio

“As exportações foram extremamente importantes para nossos resultados nos últimos anos, pois durante a retração do mercado interno esta atividade nos ajudou a manter um ponto de equilíbrio. Em 2017, por exemplo, registramos aumento de 37% nas vendas externas em relação a 2016, o que mostra um crescimento contínuo nesta área”, comenta o CEO.

Sprícigo atribui a expansão das vendas, tanto no mercado interno como externo, à retomada das compras por parte dos transportadores e empresários, além do aumento da procura por implementos com mais qualidade e eficiência. Os equipamentos mais vendidos foram os modelos graneleiro, basculante, tanque, florestal e furgão lonado, enquanto os segmentos líderes de compras foram o agrícola, de construção, florestal e de bebidas.

Segundo o executivo, a escalada pela maior participação de mercado teve início em 2012 quando a marca alcançou pela primeira vez 10% de market share no Brasil.

“Depois passamos para 12% em 2016 e 2017 e no ano passado aumentamos nossa participação graças à reestruturação de nossa rede de representantes, aumento do portfólio de produtos e investimentos em novos processos de produção”, destaca Sprícigo.


Foto: Divulgação/Librelato