dropcap]D[/dropcap]emorou. E muito. Foram três anos desde a inauguração em 2016 e o início de produção da fábrica da Honda em Itirapina (SP). A espera acabou na manhã de  hoje, 27,  quando oficialmente as máquinas foram finalmente ligadas para produzirem o primeiro hatch Fit.

Projeto de R$ 1 bilhão,  a unidade Itirapina permaneceu à espera da retomada do mercado interno, que entrou em declínio a partir de 2015, quandos as obras já estavam em pleno andamento.

A decisão da montadora de manter o novo complexo fechado até uma reviravolta dos negócios surpreendeu o setor e a pequena cidade do interior de São Paulo, que viu seu potencial crescimento econômico adiado.

Anúncio

Porém, em abril do ano passado, diante da recuperação das vendas de veículos no mercado interno, a empresa reviu seu plano produtivo de automóveis e decidiu que o momento para acionar a nova planta seria mesmo no começo de 2019. Mais que isso: surpreendeu novamente ao revelar que deixaria de fabricar automóveis na pioneira unidade de Sumaré (SP), inaugurada há duas décadas.

Com capacidade produtiva nominal de 120 mil unidades por ano, em dois turnos, a fábrica inicia as atividades com a produção diária da ordem de noventa veículos. Número que crescerá com a chegada de novos produtos.

Gradualmente, os demais modelos fabricados no país  — Civic, City, HR-V e WR-V — também sairão da nova unidade. A conclusão dessa transferência está prevista para 2021, quando Sumaré concentrará a produção apenas de motores, além de abrigar fundição e engenharia, a sede administrativa da Honda South America, o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Automóveis, a Divisão de Peças e o Centro de Treinamento Técnico para concessionárias.


Foto: Divulgação/Honda