Em balanço global divulgado nesta terça-feira, 5, a FCA, Fiat Chrysler Automobiles, anunciou perdas de € 1,7 bilhão no primeiro trimestre de 2020. A enfatizou que o resultado negativo, deveu-se, fundamentalmente, à crise global decorrente da pandemia da Covid-19, que afetou os principais polos consumidores e produtores de veículos nos últimos três meses.

“Em meio a essa adversidade sem precedentes, a primeira prioridade da FCA tem sido a saúde e segurança de seus funcionários e comunidades. A pandemia teve e continua a ter um impacto significativo em nossas operações”, declarou o CEO Mike Manley, em comunicado oficial.

O faturamento global também caiu de forma significativa no período, quando foram vendidos 818 mil veículos em todo o mundo. Os € 20,6 bilhões apurados representaram 16% a menos do que o resultado consolidado em igual trimestre do ano passado. Apesar desse desempenho, a FCA entregou  EBIT ajustado positivo de € 52 milhões.

A empresa aproveitou a divulgação dos resultados do primeiro trimestre para reforçar que está retomando gradualmente a produção em vários países e que nada mudou nos planos para a fusão com  a PSA.

Anúncio

“FCA e o Groupe PSA continuam comprometidos com a nossa fusão 50/50. Juntos continuamos avançando nos vários fluxos de trabalho  e comprometidos em concluir a transação até o final deste ano ou início de 2021.”

Na América Latina, as vendas somaram 106 mil unidades no período, 12% a menos, principalmente devido à suspensão temporária da produção no Brasil a partir de 23 de março, destacou o comunicado global.

A receita líquida na região caiu 32%, para € 1,32 bilhão, devido à queda das vendas e também ao drástico  enfraquecimento do real. O rápido processo de ajuste adotado conteve as perdas em € 27 milhões de EBIT ajustado.

LEIA MAIS

→ FCA projeta mercado até 40% menor e volta a 2019 em três anos

→ FCA mantém investimento, mas prorroga o ciclo em um ano


Foto: Divulgação