A indústria brasileira de implementos rodoviários segue firme em busca de novos mercados para incrementar seus negócios externos. O setor conseguiu ampliar em 20,2% suas exportações no ano passado, com o embarque de 4.113 unidades ante as 3.421 de 2017, e mantém números positivos este ano.

De acordo com o último balanço da Anfir, Associação dos Fabricantes de Implementos Rodoviários, as exportações no primeiro bimestre deste ano atingiram 479 unidades, com expansão de 38,4% sobre as 346 dos primeiros dois meses de 2018.

LEIA MAIS

Anfir: primeiro trimestre encerra com alta de 45% nas vendas.

Anfir organiza encontro no Equador

Em maio, entre os dias 22 a 24, indústrias do setor participarão da Expoproveedores del Transporte, em Monterrey, México, evento que reunirá mais de 300 expositores internacionais. A presença nessa feira é mais uma das ações do programa MoveBrazil, que tem coordenação da Anfir em conjunto com a Apex-Brasil, Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos.

“Nosso processo de expansão tem dado bastante resultado graças ao suporte que recebemos da Apex-Brasil”, comenta Mario Rinaldi, diretor executivo da Anfir. “Exportar é fundamental para as empresas mas, lamentavelmente, a maior parte do setor não dispunha de cultura ou qualquer suporte nesse sentido”.

Anúncio

Para reverter esse quadro, a entidade firmou convênio com a Apex em 2016 e desde então mais de 50 empresas associadas aderiram ao MoveBrazil, o que garantiu a presença brasileira em eventos realizados no Chile, Colômbia, Equador, Panamá e Peru.“Também já trouxemos ao Brasil importadores estrangeiros em três ocasiões”, ressalta o executivo.

Em março, houve rodada dupla de negócios no Equador, nas cidades de Quito e Guayaquil, com a geração de novos negócios externos da ordem de US$ 9,27 milhões. “Passo a passo e de maneira consistente vamos consolidando a posição da indústria brasileira como fornecedora de implementos rodoviários na América Latina”, afirma o diretor executivo da Anfir.

As expectativas também são positivas em relação ao evento que acontecerá no México no próximo mês, onde a indústria estará concentrada no Pavilhão Brasil. “Reunir os produtores brasileiros sob a bandeira do Brasil em um evento dessa importância é uma forma inteligente de marcar presença e mostrar a força de nossa indústria no exterior”, complementa Rinaldi.


Foto: Divulgação/Librelato