O fim já estava próximo desde que a Volkswagen anunciou ao mercado mexicano a oferta de compra on-line do Beetle Final Edition, edição especial com direito placa comemorativa e numerada das últimas 65 unidades produzidas na fábrica de Puebla, em referência aos 65 anos de atuação da marca naquele país.

E foi com show de mariachis e chuva de papel picado que o Beetle oficialmente se despediu na quarta-feira, 11 de julho, da linha de produção da unidade mexicana, de onde desde 1997 saia para abastecer mais de 90 mercados ao redor do mundo.

O modelo nasceu New Beetle, pensado especialmente para o mercado dos Estados Unidos, como releitura do popular Beetle, o Fusca. Sua primeira aparição, ainda como conceito, foi no Salão de Detroit de 1994.

LEIA MAIS

→México e mundo preparam adeus ao VW New Beetle

→Os 60 anos do Fusca brasileiro

Anúncio

Diferentemente de sua inspiração, no entanto, o carro chegou em 1997 com apelo esportivo e acabamento refinado, tecnicamente baseado na plataforma anterior do Golf, com motor 2.0 a gasolina ou 1.9 turbo diesel. O último a sair de linha, em verão Final Edition, foi um modelo azul com motor 2.5 de 170 cv.

O Beetle encerra a carreira com produção acumulada de 1,7 milhões de unidades. Contou duas gerações, a New Beetle, e a The Beetle, introduzida em 2011, além de duas versões cupê e conversível (lançada em 2001).

O adeus do Beetle também marca o fim de uma era na unidade de Puebla, que iniciou atividades no final dos anos 60 para a produzir o Vocho, como era conhecido o Fusca no México.

A partir de agora a fábrica terá um novo papel na estratégia da Volkswagen com a produção de utilitários esportivo. Já está confirmada para Puebla a chegada do Tarek no ano que vem, modelo que também será produzido na Argentina.


Fotos: VW/Divulgação