A Volkswagen aproveita o Salão de Frankfurt para fazer a estreia mundial do ID.3, modelo compacto elético que contou com a participação de brasileiros em seu desenvolvimento. Apresentado pela empresa como um novo marco em sua história, o modelo inova ao trazer o motor elétrico na parte inferior do veículo.

“O ID.3 faz parte de um capítulo fundamental na história da Volkswagen, assim como o Fusca e o Golf. É o projeto mais importante da minha carreira até hoje”, afirma o brasileiro Marco Pavone, chefe de design exterior da marca Volkswagen, ao mencionar que já está trabalhando em outros modelos da família ID.

Além de Marco Pavone, também os designers brasileiros Felipe Montoya e Fabio de Carlis participaram da concepção do primeiro modelo totalmente elétrico baseado na plataforma MEB da montadora alemã. A equipe liderada por Klaus Bischoff contou ainda com o apoio do húngaro Akos Szaz e dos alemães Urs Rahmel, chefe de design de farois, lanternas e rodas, e Sven Ehnert, que ajudou na viabilidade do design em direção à produção do modelo.

LEIA MAIS

Volkswagen produzirá terceiro SUV nacional

Volkswagen confirma CUV na Anchieta, mas não novo investimento

Segundo a Volkswagen, depois do Fusca e do Golf o ID.3 chega para marcar um novo capítulo na história da marca. “O Fusca rompeu os conceitos de produção de veículos no mundo pela sua concepção simples e icônica em um carro com motor traseiro e o Golf fez a mesma coisa ao unir em um modelo com motor frontal dirigibilidade única e design atemporal. O ID.3 muda tudo isso de novo ao trazer o motor elétrico na parte inferior do veículo”, destaca a montadora em nota.

Anúncio

De acordo com Pavone, essas alterações mudaram o mundo do automóvel: “Forma, propulsão, aproveitamento de espaço da cabine e proporções da carroceria não são como antes. Pensar no design de um veículo como o ID.3 foi um desafio enorme, pois não havia a necessidade de um capô longo ou de entradas de ar, por exemplo. O resultado foi incrível: um carro com as proporções externas de um Golf com o espaço de um Passat por dentro”.

Como premissa em todos os projetos da plataforma MEB, as baterias ficam sob o assoalho do veículo, o que consequentemente faz a altura da carroceria ser elevada. Em um carro como o ID.3, que possui balanços dianteiros e traseiros curtos, o “crescimento” da carroceria foi um ponto de atenção durante o desenvolvimento do modelo.

Para harmonizar esse efeito e garantir a eficiência aerodinâmica foram aplicados rodas maiores (o ID.3 utiliza roda de 20”), um spoiler alongado e para-choques dianteiros e traseiros projetados para auxiliarem na baixa resistência ao vento. “O ID.3 representa uma nova concepção de design, é um carro diferenciado e tem todo potencial para ser icônico”, diz o designer brasileiro.


Foto: Divulgação/VW