Com objetivo de liderar uma transformação para um transporte mais sustentável, a Scania promoveu na sexta-feira, 20 de setembro, dia da greve global pelo clima, treinamento para os 52 mil colaboradores em todo o mundo a respeito das mudanças climáticas.

Ao menos por uma hora, todas unidades da empresa pararam suas atividades rotineiras para debater e sugerir ideias de curto, médio e longo prazos sobre como a Scania pode contribuir por um planeta mais sustentável. Na fábrica de São Bernardo do Campo (SP) da empresa, em torno de 4,5 mil colaboradores participaram do evento.

A fabricante distribui cartilhas a respeito do assunto traduzidas mais de 30 idiomas e capacitou mais de 2,5 mil colaboradores como multiplicadores para liderar workshops nas unidades da empresa.

“Acreditamos que aumentar o conhecimento a respeito das mudanças climáticas é crucial para podermos cumprir o Acordo de Paris”, resume em nota o presidente e CEO global da Scania, Henrik Henriksson.

Para o dirigente da marca sueca, a bandeira da sustentabilidade não é somente um discurso, mas questão de sobrevivência. “Se não formos sustentáveis, não seremos mais atraentes no mercado. Portanto, precisamos realizar essa transformação, não apenas para permanecermos competitivos, mas também porque devemos assumir a responsabilidade como empresa, como cidadãos que somos, e fazer parte da transformação para uma sociedade mais sustentável.”

LEIA MAIS

→Scania abre vendas de caminhões a gás

Anúncio

→Scania cria percurso temático de sustentabilidade

→Scania em alinhamento sustentável

A greve global pelo clima é liderada por estudantes, em especial pela jovem ativista sueca Greta Thumberg, que iniciou protesto, e, agosto do ano passado, em frente ao Parlamento sueco para exigir do governo ações contra o aquecimento global. Durante seu horário da escola levou cartaz convocando greves escolares pelo clima. Desde então, todas as sextas-feiras ela falta às aulas para protestar a favor do clima.

Nas redes sociais, Greta disseminou o movimento “Fridays for Future” (sextas-feiras pelo futuro, em inglês) que já leva milhares de manifestantes para as ruas. Na sexta-feira, 20, eram esperados eventos em mais de 150 países. O maior deles em Nova Iorque, onde na segunda-feira, 23, ocorrerá a Cúpula pelo Clima da ONU.

Comprometida com a mudança para um sistema de transporte mais sustentável, a Scania estabeleceu objetivos de reduzir em 50% as emissões de CO2 em suas operações de transporte por tonelada transportada até 2025, adotar 100% da energia elétrica em suas unidades livre de combustíveis fósseis até o ano que vem e reforçar oferta em gama de produtos movidos a combustíveis renováveis.


Foto: Scania/Divulgação