Para dar sustentação à colheita da cana-de-açúcar nos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul da safra 2020/21, a Raízen apostou nos caminhões Volvo das linhas FH e FMX. A empresa produtora de açúcar, etanol e energia colocou em ação 210 veículos da marca para o transporte de cana picada entre as lavouras as usinas.

No negócio, no qual teve apoio da Volvo Financial Services, divisão financeira da Volvo, a companhia decidiu dividir o lote entre contratos com locadoras de veículos e com operadoras logísticas parceiras. De acordo com a Volvo, a companhia encontrou nos veículos da marca o melhor Custo Total de Propriedade (TCO), no qual se leva em consideração todos os gastos ao longo da vida útil do caminhão.

“O negócio com a Raízen sela uma parceria de sucesso. Estamos somando o desempenho e a avançada tecnologia presentes em nossos veículos com a força e a expertise de um gigante do setor sucroalcooleiro”, diz em nota Alcides Cavalcanti, diretor executivo de caminhões da Volvo no Brasil.

Anúncio

Para Volvo, a transação com a Raízen reforça a liderança da marca no setor, onde seus veículos estão presentes em todo o ciclo de álcool e açúcar. De acordo com Cavalcanti, o transporte e a logística do setor sucroalcooleiro são complexos, o que exige assertividade na escolha da composição veicular, considerando os implementos e as vias de tráfego. “Existem várias aplicações, cada qual com suas peculiaridades. Os modelos Volvo possibilitam diferentes especificações que, combinadas, atendem todas às necessidades.”

LEIA MAIS

Volvo reduz produção na fábrica de Curitiba

I-Shift, da Volvo, completa 20 anos

Volvo FH 540 dispara na liderança de mercado