Lançado no Brasil em 1984, o Fiat Uno assistiu a chegada de centenas de novos modelos no mercado, presenciou mudanças radicais na tecnologia sobre rodas, deixou pra trás o tempo em que até o espelho retrovisor do lado direito era considerado opcional e pago à parte na concessionária. Enfim, o velho modelo da Fiat é testemunha ocular da evolução da mobilidade que o mundo assistiu nesses 35 anos.

Contemporâneo de Michel Foucault e Tancredo Neves, o Uno viu a estreia da internet no Brasil, o movimento Diretas Já, o início da carreira de Ayrton Senna na Fórmula 1 e a Seleção Brasileira conquistar por duas vezes a Copa o Mundo.

O que esperar de um produto como esse em pleno 2019, com o mercado forrado de modelos dotados da mais alta tecnologia, com equipamentos de última geração, sistemas de segurança de ponta na era do carro elétrico e autônomo?

Por mais improvável que possa parecer, o velho Uno ainda tem fôlego para encarar concorrentes mais novos e poderosos. Com 15.662 unidades de janeiro a setembro, o carro de entrada da Fiat foi o que mais cresceu este ano, um aumento de 59% sobre o volume vendido no mesmo período do ano passado, superando concorrentes como o Jeep Renegade (segundo que mais cresceu, com 50.119 unidades e 50,4%) e o Ford Ka sedã (terceiro, com 38.766 e 42,5%).

Com o posicionamento do Mobi como carro de entrada da Fiat para a venda no varejo, o Uno acabou tendo uma vocação como carro de trabalho, para atender corporações e frotistas. E o resultado foi bastante positivo num ano em que metade das vendas de automóveis e comerciais leves foram diretas (quase 1 milhão de unidades até aqui).

O Renault Kwid (39%), os Chevrolet Spin (34,7%) e Prisma (31,7%) também tiveram aumentos de venda expressivos no período, mas vale destacar a presença do Fiorino, que é derivado do velho Uno, na quinta posição do ranking dos que mais aumentaram as vendas em 2019. O utilitário da Fiat teve 12.425 unidades negociadas e cresceu 35,1%.

São números realmente expressivos, considerando que o crescimento do mercado de carros e comerciais leves nos nove primeiros meses do ano foi de apenas 8,7% (1.935.335 unidades).

Chevrolet Onix (23,8%), Renault Captur (22,8%) e Hyundai Creta (20,8%) completam a lista dos dez carros que mais evoluíram de janeiro a setembro deste ano.

No total, 23 automóveis cresceram acima da média do mercado. Outros nove tiveram aumento de vendas, mas com índices abaixo da média (veja a lista) e outros 17 venderam menos do que no ano passado.

 

Quem mais cresceu

 

Class. Marca Modelo 2018 2019 Variação
    Qtd. Qtd. %
 Fiat Uno 9.843 15.662 59,1
 Jeep Renegade 33.319 50.119 50,4
 Ford Ka sedã 27.195 38.766 42,5
 Renault Kwid 46.641 64.874 39,1
 Fiat Fiorino 9.195 12.425 35,1
 GM Spin 15.263 20.566 34,7
 GM Prisma 49.683 65.422 31,7
 GM Onix 146.223 181.039 23,8
 Renault Captur 17.350 21.267 22,6
10º  Hyundai Creta 33.865 40.912 20,8
11º  Honda City 9.705 11.702 20,6
12º  Fiat Argo 46.023 55.113 19,8
13º  Renault Duster 15.440 18.098 17,2
14º  Nissan Kicks 33.787 39.513 16,9
15º  Volkswagen Virtus 29.285 34.153 16,6
16º  Fiat Strada 49.079 56.587 15,3
17º  Volkswagen Gol 52.535 60.268 14,7
18º  Fiat Mobi 36.912 40.872 10,7
19º  Toyota Hilux 27.348 30.138 10,2
20º  Hyundai HB20s 23.967 26.105 8,9
21º  Ford Ranger 14.750 15.811 7,2
22º  Fiat Toro 43.035 45.894 6,6
23º  Volkswagen Amarok 13.814 14.527 5,2
24º  Volkswagen Fox 28.624 29.649 3,6
25º  Honda Civic 19.470 20.101 3,2
26º  Toyota SW4 9.751 10.050 3,1
27º  Renault Logan 17.794 18.264 2,6
28º  Volkswagen Voyage 23.480 23.495 0,1
29º  GM S10 23.207 23.215 0

Fonte: Autoinforme

Anúncio
* Joel Leite é jornalista, palestrante e criador da Agência AutoInforme, agência especializada no setor automotivo

Foto: Divulgação/FCA