AGeneral Motors inaugurou nesta terça-feira, 22, uma nova linha de motores na fábrica de Joinville (SC), que foi totalmente reformulada para produzir os propulsores 1.0 turbo e aspirado de três cilindros dos novos Onix e Onix Plus. A partir de um investimento de R$ 1,9 bilhão, a capacidade do complexo industrial catarinense saltou de 174 mil unidades para 410 mil unidades/ano, uma expansão de 135%. A área construída mais do que quadruplicou, passando de 14 mil para 60,8 mil m².

Com 627 novos equipamentos provenientes de 15  países, vários processos da nova linha possuem agora automação da indústria 4.0. São 90 robôs operando em um sistema integrado e inteligente onde todas as peças são monitoradas pelo seu número serial, permitindo registrar dados importantes de manufatura e qualidade.

A fábrica de Joinville passa a ser responsável por 100% do fornecimento de motores para a unidade industrial de Gravataí (RS),  onde está sendo produzida a nova linha Onix — a versão sedã já está à venda na rede Chevrolet e a hatch começa a ser comercializada no mercado brasileiro no mês que vem.

Em São José dos Campos, interior de São Paulo, será concentrada a linha de motores 1.0 e 1.4 que antes era também produzida em Joinville. Esses propulsores, agora, abastecerão apenas a antiga geração do Onix, que será fabricada em São Caetano do Sul (SP) e passa a ser comercializada com o nome Joy.

Anúncio

LEIA MAIS

Carlos Zarlenga, da GM: “Fico contente que tudo deu certo”.

General Motors premia ações de sustentabilidade

General Motors abre vagas para jovens profissionais

Automação – “A fábrica de Joinville, que já era uma das mais modernas e sustentáveis da região e do mundo, agora é uma das operações de sistemas de propulsão com maior nível de automação”, comentou Marcos Munhoz, vice-presidente da GM América do Sul, ao participar da solenidade de inauguração das novas instalações da unidade catarinense.

O executivo destacou a existência de empilhadeiras autoguiadas que realizam o abastecimento de componentes usinados e motores finalizados. “Cerca de 20% da nossa frota de empilhadeiras são autônomas e as demais são equipadas com uso eficiente de energia limpa”, enfatiza Luiz Fernando Duccini, gerente geral da fábrica.

Além disso, os dispositivos de automação da linha de montagem e usinagem de componentes escaneiam o código de cada peça e selecionam automaticamente o programa correto para fabricar aquele tipo de motor e ajustam os parâmetros de manufatura quando necessário.

Entre os avanços tecnológicos implementados na fábrica está o monitoramento de consumo de utilidades de água, ar comprimido e energia por linha e processo produtivo, tanto no setor de usinagem de componentes, como na linha de montagem de motores.

“Esse controle tão preciso permite que consigamos nos tornar ainda mais eficientes ao medir os consumos de utilidades por unidade produzida e os impactos de cada processo, assim podemos atuar mais focados ainda também na sustentabilidade”, afirmou Duccini.


Foto: Divulgação/GM