O crescimento da indústria brasileira de autopeças continua desacelerando a cada mês e, com base no balanço dos primeiros nove meses, o Sindipeças estima que ao final do ano a expansão do faturamento será de apenas 3% a 5% em relação 2018.

Conforme publicado nesta quinta-feira, 7, no site da entidade, a pesquisa conjuntural do setor aponta alta de 7,8% na receita líquida do setor no acumulado até setembro, índice que chegou a 10,4% no primeiro semestre e desde então não para de baixar.

O faturamento líquido do setor de autopeças recuou 4,7% na passagem mensal de agosto para setembro, com queda de 5,4% nas vendas para montadoras e de 6% para o mercado de reposição. No acumulado até setembro, a expansão  foi da ordem de 11% nos negócios OEM e de 6% no aftermarket.

“A cada nova edição da pesquisa conjuntural observa-se a convergência da variação do faturamento do setor para intervalo de crescimento entre 3% e 5% em 2019, como expresso nas projeções da assessoria de economia do Sindipeças”, destaca a entidade em seu balanço dos primeiros nove meses do ano.

LEIA MAIS

Importação de autopeças cai 18,4% no ano

Anúncio

Déficit das autopeças recua 36,7%, para US$ 2,84 bilhões

Dos 470 associados do Sindipeças, 360 são PMEs

A receita proveniente das exportações segue em declínio e, segundo o Sindipeças, persistirá com essa tendência enquanto não houver progresso no mercado argentino. Contabilizou-se, até setembro, recuo de 13,3% no ano e de 10,1% para o acumulado em 12 meses.

Diante dessa retração, a participação das exportações no faturamento da indústria de autopeças baixou de 19,7% em setembro do ano passado para 16,2% no mesmo mês deste ano. A fatia da reposição teve pequena queda, passando de 14,3% para 14%, enquanto a das montadoras cresceu de 62,1% para 65,3%. O restante fica por conta de negócios intrassetoriais.

O emprego sofreu retração pelo oitavo mês consecutivo, em setembro da ordem de 6,7%, tomando-se como base de comparação igual mês do ano anterior. A utilização da capacidade se manteve em 72% em setembro.


Foto: Divulgação/Fenatran 2019