No mesmo dia em que a direção mundial do grupo revelou que paralisará temporariamente a produção de veículos em todas suas fábricas na Europa, a Volkswagen do Brasil admitiu que protocolou no Ministério do Trabalho férias coletivas de dez dias para os fucionários de todas as suas quatro fábricas no País.

Segundo a montadora, a medida é preventiva contra a proliferação do coronavírus. A Volkswagen conta com cerca de 15 mil empregados nas fábricas de São Bernardo do Campo, São Carlos e Taubaté, em São Paulo, e São José dos Pinhais, no Paraná.

A paralisação das atividades entre os dias 31 de março e 9 de abril, porém, ainda não está confirmada. “Estamos monitorando a situação diariamente”, informou a empresa.

O sindicato dos trabalhadores de Taubaté, contudo, dá como certa a paralisação na planta do interior paulista. O site da entidade destaca:

“O Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região (Sindmetau) informa que a unidade da Volkswagen (VW) no município concederá férias coletivas aos 3.200 trabalhadores da produção e do setor administrativo a partir do dia 31 de março até 09 de abril deste ano”.

Anúncio

Mas a própria entidade acrescenta que o retorno ao trabalho está previsto apenas para o dia 14 de abril,  após o feriado da Semana Santa.

A Volkswagen, assim como outras montadoras, foi procurada por AutoIndústria na segunda-feira (16) para falar sobre a possibilidade de suspensão da produção aqui e não deu retorno ao questionamento. Entretanto, já protocolara a decisão de conceder férias.

LEIA MAIS

→ Grupo Volkswagen fechará fábricas europeias por até três semanas

→ Montadoras ainda não consideram interromper produção aqui


Foto: Divulgação/VW