AFenabrave está pleiteando junto aos 26 governos estaduais e Distrito Federal uma autorização para que as concessionárias de veículos voltem a operar a partir deste início de mês. A informação é do presidente da entidade, Alarico Assumpção Júnior, que teme por demissões no setor caso as lojas não voltem a funcionar, com retomada imediata das vendas.

Segundo ele, já houve autorização nesse sentido por parte do governo do Distrito Federal. “A medida foi publicada na noite de quarta-feira, 1, e hoje as lojas já puderam abrir”, informou.

O dirigente diz entender a gravidade da atual pandemia provocada pelo Covid-19, masque as concessionárias estão preparadas para adotar as devidas medidas sanitárias, com rodízio das equipes de funcionários e limpeza preventiva e ativa das instalações e automóveis em exposição.

“Todas as concessionárias estão aptas a seguir as recomendações da OMS, Organização Mundial da Saúde, e das autoridades federais”, destacou. “Sabemos que a prioridade é a saúde da população, mas a continuar como está cerca de 20% dos empregos do nosso setor podem ser comprometidos, pois os concessionários, que têm despesas fixas, estão sem receita”.

Segundo o presidente da Fenabrave, o mês passado, com 163,6 mil unidades emplacadas, foi o pior março dos últimos 14 anos (veja tabela abaixo). “E o balanço do trimestre (558 mil veículos licenciados) é o pior para o período dos últimos 10 anos”, lembrou Assumpção Jr.  “Temos 7,3 mil concessionárias em 1.020 municípios, sendo que 90% delas têm um único CNPJ, e empregamos 315 mil trabalhadores, três vezes mais do que as montadoras. Se não tiver receita, a concessionária não tem como sobreviver.”

LEIA MAIS

Queda no mercado de veículos pode chegar a 40% este ano

Vendas despencam e março tem pior desempenho em 14 anos

Anúncio

“Respeitamos o período de 15 dias de quarentena, mas não vemos como continuar sem operar. Nosso pleito aos governos estaduais era para voltar a funcionar a partir desta semana, 1º de abril”, informou o presidente da Fenabrave.

Ele acredita que pelo menos 40% das concessionárias tendem a voltar a trabalhar de imediato se houver autorização nesse sentido. ´”É uma questão de sobrevivência”, insistiu o dirigente. “Com o tempo a maioria voltaria a operar.”

Apesar da queda nas vendas em março e, consequentemente, no trimestre, Alarico Júnior disse que ainda é cedo para rever projeções para o ano, que inicialmente indicavam crescimento de 8% nas vendas internas de veículos. Além de estar solicitando a reabertura das concessionárias, a Fenabrave também encaminhou uma série de pleitos aos estados e municípios, além do governo federal, para evitar demissões no setor.

Junto aos governos estaduais a entidade está reivindicando a suspensão de pagamento do IPVA. No âmbito federal,  os pedidos são de uma linha de crédito especial do BNDES para empresas do setor, desoneração de folha de pagamentos e encargos e a redução ou postergação de tributos por 120 dias.

Dentre os pleitos direcionados aos estados e municípios alguns já foram atendidos, como a autorização de funcionamento das oficinas, em algumas cidades, para a realização de serviços para garantir, principalmente, os transportes essenciais. Também as oficinas das concessionárias de caminhões e tratores estão autorizadas a trabalhar para dar suporte aos veículos e máquinas usados no transporte e na agricultura.


Foto: Divulgação/Fenabrave