A rede de concessionárias Jeep começou a vender oficialmente nesta terça-feira, 28, a inédita  versão Rubicon do Wrangler. A marca pertencente à FCA assegura que é o veículo de produção em massa com maiores adequação e capacidade para trajetos off-road.

Para comprovar se a Jeep tem, de fato, razão na sua afirmação, não basta, porém, saber como conduzir a nova versão por trilhas e estradas de terra. É preciso dispor, antes disso, de uma boa reserva financeira para a compra de um seletíssimo veículo. A nova versão tem preço sugerido de R$ 420 mil, cerca de R$ 50 mil a mais do que a Sahara, até então a opção do Wrangler mais cara oferecida aqui.

Pela proposta da Rubicon e, sobretudo, seu valor, é natural que a Jeep nutre expectativa de vendar pouquíssimas unidades. O “jipão” cumprirá mesmo o papel de garoto-propaganda do “espírito aventureiro” da marca, que concentrou nos nacionais Renegade e Compass 99% dos seus quase 129,5 mil veículos licenciados no País em 2019.

Além do próprio Wrangler, a Jeep importa ainda o grandalhão Cherokee. Os dois modelos somaram  375 emplacamentos no ano passado, segundo levantamento da Fenabrave. Algo esperado.

Historicamente, afirma Alexandre Aquino, gerente-sênior do Brand Jeep para a América Latina, as vendas anuais do Wrangler limitam-se a cerca de 200 a 300 unidades, número que não deve ser muito diferente em 2020, mesmo com as dificuldades impostas pelo fechamento das revendas durante as últimas semanas para o combate à disseminação do corovonavírus.

Anúncio

Rubicon, é bom lembrar, é o nome de consagrada trilha de 35 quilômetros na Califórnia, considerada uma das mais técnicas para condução de veículos off-road nos Estados Unidos. E a versão que agora chega ao Brasil, iz a Jeep, cumpre o trajeto sem qualquer preparo extraordinário, apenas com os recursos e configurações de fábrica.

O pacote técnico da nova versão, com motor 2.0 turbo de 272 CV e transmissão automática de 8 marchas, tem como destaque, sistema de tração 4×4 Rock-Trac de última geração, bloqueio eletrônico dos diferenciais dianteiro e traseiro e barra estabilizadora dianteira com desconexão eletrônica.

Com ângulos de ataque e saída de 44 graus e 37 graus, respectivamente, suspensão 5 cm mais alta e pneus lameiros de 33 polegadas, além de proteção sob a carroceria contra impactos, a Rubicon é capaz de transitar em áreas inundadas com até 76 cm de altura, assegura a Jeep.

A proposta off-road não exclui conforto e sofisticação. A versão tem central multimídia de 8,4 polegadas, com navegação GPS própria, conectividade com os sistemas Apple Car Play e Android Auto e informações sobre graus de inclinação lateral e longitudinal do veículo, tração selecionada, grau de esterço da direção, coordenadas geográficas e altitude em relação ao nível do mar.

Há sensores frontais e traseiros, câmera de ré, monitoramento de ponto cego e aviso de colisão frontal com alertas de frenagem ativa. E as clássicas soluções encontrdas em outros produtos da marca de para-brisa dobrável e portas removíveis.

LEIA MAIS

→ Renegade e Compass: Jeep paga até oito parcelas nas compras a prazo.

→ Os novos contornos do disputado segmento de SUVs


Fotos: Divulgação