A fábrica da Volkswagen de Córdoba, na Argentina, reiniciará produção na quarta-feira, 29 de abril. De acordo com a fabricante, nas últimas semanas a unidade vem se preparando para garantir proteção dos trabalhadores contra o novo coronavírus.

“Os colaboradores são nossas prioridades”, ressalta em nota Thomas Owsianski, presidente e CEO do Grupo VW Argentina “Estabelecemos um protocolo de saúde e segurança alinhado às recomendações do governo nacional e provincial, e endossado pelos representantes dos trabalhadores.”

Para a retomada, a companhia estabeleceu uma programação de aumento gradual na produção em vista a cumprir as demandas externas de fornecimento. A fábrica de Córdoba faz parte de uma rede de oito unidades fabris do grupo responsáveis pela produção de transmissões.

Todo volume produzido é exportado, especialmente para países como Brasil, Alemanha, Espanha, República Tcheca, Eslováquia, China, Índia, África do Sul, Estados Unidos e México. As transmissões produzidas na Argentinas equipam os modelos VW Golf, Vento, T-Roc; Seat Ibiza, León e Toledo; Skoda Fabia e Octavia e Audi A1 e Q2.

Aumento de produção gradual

Pelo cronograma, na primeira semana serão produzidas 3,5 mil caixas de transmissão e componentes. Na segunda, 7 mil, na terceira 7,8 mil e, na quarta semana, o volume chegará a pouco mais de 8 mil. A empresa ressalta ainda que a fábrica segue com as adequações para iniciar produção da caixa de transmissão manual de seis marchas MQ281, prevista para maio. Para o projeto a empresa alocou US$ 150 milhões.

Anúncio

Para o retorno, medidas de higiene foram reforçadas entre cada turno, diversos pontos dos ambientes ganharam frascos de álcool gel, a temperatura dos colaboradores será verificada frequentemente, o uso de máscaras será obrigatório e marcas no chão determinará a distância a ser obedecida entre os empregados.

LEIA MAIS

Volkswagen comemora 40 anos na Argentina

Com apenas um turno, Volkswagen prevê retornar dia 18 de maio

Volkswagen fecha acordo de 30% de redução de jornada


Foto: Grupo VW/Divulgação