Omercado de veículos usados tem reagido mais rápido do que o de 0 km por conta, principalmente, da movimentação dos modelos mais velhos, com idade superior a 9 anos. No total, o setor comercializou 1.143.726 unidades em julho, evolução de 52,1% sobre junho, quando houve 752.173 transações, conforme dados divulgados pela Fenauto, Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores.

Na faixa dos definidos pela entidade como usados maduros (9 a 12 anos de uso), a alta foi de 73,% no comparativo mensal, com 278.838 transações em julho. O índice é próximo no segmento dos chamados velhinhos, aqueles com mais de 12 anos, que teve expansão de 70%, com 325.768 negócios realizados no mês passado.

Já a comercialização de veículos seminovos teve alta de 17,6%, atingindo 159.608 vendas em julho ante as 135.664 de junho. Os usados compreendidos entre 4 e 8 anos, chamados de jovens, tiveram vendas expandidas em 42,6%, com 379.512 e 264.327, respectivamente.

LEIA MAIS

Em julho sobre junho, montadoras ampliam vendas em 31,4%

Anúncio

Montadoras demitem 1,1 mil trabalhadores em junho

No acumulado dos primeiros sete meses do ano, foram vendidos, no total, 5.684.145 veículos usados, volume 30,5% inferior ao obtido no mesmo período de 2019, que registrou 8.184.309 negócios no setor. Nesse mesmo comparativo, a venda de 0 km caiu 36,7%.

O presidente da Fenauto, Ilídio dos Santos, diz que a persistir este movimento positivo da retomada de negócios, o setor de usados deverá recuperar patamar similar ao registrado antes da pandemia ainda em agosto. “Estamos atentos à movimentação da economia com a flexibilização da quarentena e a retomada gradual das atividades normais do mercado. A princípio acreditamos em retomada dos números anteriores à Covid-19 ao longo deste mês”.