Ototal de recursos liberado para financiamento de veículos atingiu R$ 15,25 bilhões em setembro, valor 8% superior ao registrado em idêntico mês do ano passado (R$ 14,12 bilhões) e 11,6% superior ao de agosto (R$ 11,64 bilhões). Também é maior do que os verificados em janeiro (R$ 12,18 bilhões) e fevereiro de 2020 (R$ 11,96 bilhões), mas tradicionalmente o início de ano é mais fraco no setor.

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, 19, pela Anef, Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras, que diante do fôlego que o mercado ganhou a partir da virada do primeiro para o segundo semestre revisou as projeções feitas em julho, prevendo agora um recuo de 11,8% no ano, ante os 22,6% anunciados anteriormente.

“Os resultados do total de recursos liberados foram positivos no terceiro trimestre, retornando aos níveis pré-pandemia”, comenta Paulo Noman, presidente da Anef.

LEIA MAIS

Consórcio amplia liberação de crédito este ano

Anúncio

Contraste entre demissões e horas extras reflete cautela das montadoras

No acumulado dos primeiros nove meses do ano foram liberados R$ 107 bilhões para a compra de veículos no País, o que representou recuo de 7,6% frente aos R$ 115,7 bilhões atingidos em idêntico período de 2019. Os piores meses foram abril e maio, quando os financiamentos totalizaram, respectivamente, R$ 5,7 bilhões e R$ 7,9 bilhões.

De acordo com dados da Anef, a participação das modalidades de crédito nas vendas de automóveis e comerciais leves no Brasil tem mantido níveis estáveis nos últimos anos na faixa de 50%. Com planos máximos mantidos em 60 meses, o prazo médio das concessões de crédito subiu de 44,5 meses em setembro de 2019 para 45,2 no mesmo mês deste ano.


Foto: Divulgação/Pixabay