A menos que o departamento comercial da FCA tire um gordo coelho da cartola nestas últimas três semanas de 2020, o T-Cross quebrará a hegemonia de três anos dos modelos Jeep à frente do segmento de SUVs no Brasil.

Com 52,7 mil unidades vendidas de janeiro a novembro, o utilitário esportivo da Volkswagen tem 3,7  mil veículos de vantagem sobre o Renegade.

A diferença é difícil de ser suplantada, mesmo com os resultados superiores do modelo da Jeep nos últimos três meses, deixando o T-Cross na segunda colocação. Mesmo assim, conseguiu reduzir pouco mais da metade da desvantagem acumulada de 6,6 mil até agosto.

Em 2019, o Renegade foi o SUV mais vendido do País, com 68,7 mil unidades, seguido de outro Jeep, o Compass (60,4 mil), que liderara nos dois anos anteriores.

Apesar da concreta possibilidade de perder a “dobradinha” em 2020, a Jeep, de qualquer maneira, seguirá como a marca de maior penetração entre os SUVs. Com Renegade e o atual terceiro colocado Compass (46,0 mil unidades) respondeu, no acumulado dos onze meses, por 20,6% das vendas do segmento.

Anúncio

A segunda marca mais negociada é exatamente a Volkswagen, que soma os desempenhos ainda do Nivus (12,1 mil) e do mexicano Tiguan (7,8 mil) para alcançar fatia de 15,7%

Mas é bom lembrar que a montadora alemã — então sem o Nivus, lançado em meados deste ano — encerrou 2019 com somente   8,4% do segmento de SUV. Ou seja, enquanto no período a Jeep caiu de 0,9 ponto porcentual,  a Volkswagen quase dobrou sua penetração.

E a briga entre as duas marcas deve ficar ainda mais acirrada no ano que vem. Se de um lado motores turbo chegarão para apimentar o desempenho dinâmico e de mercado de Renegade e Compass, do outro a Volkswagen terá a novidade do Taos, modelo fabricado na Argentina e que disputará exatamente com o Compass a preferência dos clientes dos SUVs médios.


Foto: Divulgação