A Daimler Truck e a empresa de gases industriais e engenharia Linde anunciam parceria para desenvolver tecnologia de abastecimento de hidrogênio líquido para caminhões acionados por células de combustível. O objetivo é fazer com que o reabastecimento do veículo se torne fácil e rápido.

O projeto se concentra em um novo processo no uso do hidrogênio líquido com adoção de pressão mais alta que a do ambiente e controle de temperatura durante o reabastecimento do veículo, proporcionando ao combustível mais densidade e, consequentemente maior eficiência energética.

“A célula de combustível à base de hidrogênio é uma tecnologia chave e de importância estratégica. Mediante nossa colaboração com a Linde, que entra como especialista em tecnologia de reabastecimento de hidrogênio, queremos aumentar a viabilidade e a aceitação na indústria de caminhões com células de combustível com base no hidrogênio”, resume Sven Ennerst, membro do Conselho de Administração da Daimler Truck AG para Desenvolvimento e Compras da Região da China.

A Daimler pontua que o hidrogênio líquido, por mais denso que seu estado gasoso, permite tanques menores e mais leves, o que garante maior capacidade de carga útil para o transporte. E como possibilita maior quantidade de combustível, também entrega mais autonomia.

Anúncio

“Junto com a Daimler Truck AG, líder da indústria de veículos comerciais, esperamos que o uso de caminhões pesados movidos a hidrogênio venha a ser uma realidade em um futuro muito próximo”, diz David Burns, chefe da área de Hidrogênio Limpo da Linde.

A Daimler planeja iniciar os testes do novo processo de abastecimento junto a cliente em 2023 com o recém-apresentado protótipo Mercedes-Benz GenH2 Truck, em setembro passado. De acordo com a fabricante, graças ao uso de hidrogênio líquido o desempenho do veículo deverá se igualar o de caminhões equivalentes convencionais movidos a diesel.

LEIA MAIS

→Daimler e Volvo: testes com caminhões a célula de combustível em 3 anos.

→Daimler apresenta caminhão movido a hidrogênio

→Daimler se prepara para produzir células de combustível