A/dropcap] partir de projeto de economia circular implantado em suas unidades paulistas de Araraquara, Itu, São Bernardo do Campo e Sorocaba, a ZF conseguiu reutilizar 2.500 caixas de madeira e papelão no curto espaço de três meses, sanando, ao menos em parte, problema com falta de embalagens enfrentado no segundo semestre de 2020.

Segundo a empresa, a retomada das demandas da indústria automotiva em meados do ano passado, que culminou com a indisponibilidade de suprimentos, especialmente embalagens no mercado brasileiro, foi decisiva para a realização de estudos e avaliação de viabilidade da reutilização das caixas utilizadas em suas fábricas. Implantado em outubro, o projeto envolveu as áreas de meio ambiente, produção e logística.

João Manoel Gambarra, engenheiro ambiental da ZF e um dos idealizadores do projeto, diz que o primeiro passo foi começar a tratar a relação entre as plantas de forma mais abrangente e entender o ciclo de início e término dos processos. A partir do entendimento desse fluxo circular, a fornecedora de sistemas para veículos leves e pesados passou a adaptar a logística para separação, triagem e envio desses materiais.

LEIA MAIS

ZF dobra vendas online no mercado de reposição

Anúncio

ZF reduz consumo de energia elétrica só com alertas

“A ZF tem trabalhado ano após ano em projetos de economia circular no Brasil e cada vez mais propostas são sugeridas por nossos colaboradores e abraçadas pela nossa gestão”, explica Sildson Corrêa, gerente sênior de saúde, meio ambiente e segurança da ZF.

São ações nas área de eficiência energética e de recursos, reuso de água, reciclagem de óleo de corte na usinagem e de solventes na pintura visando o Aterro Zero. No caso das embalagens, as caixas passaram a ser reutilizadas uma vez, com a estimativa de uma redução de 17 toneladas de resíduos de madeira mensalmente.

“Projetos como esse vão muito além do conceito de reduzir, reutilizar e reciclar. Dizem respeito a redesenhar processos e ver oportunidades além das próprias questões ambientais nos desperdícios. São estratégias que também trazem benefícios aos negócios da empresa no longo prazo”, destaca Corrêa.


Foto: Divulgação/ZF