Mais uma gigante glogal de tecnologia se prepara para fazer frente às montadoras. A Xiaomi, informam agências de notícias internacionais Reuters e veículos de imprensa da China, pretende fabricar veículos elétricos utilizando fábrica da também chinesa Great Wall.

Xiaomi e Great Wall não quiseram comentaram as especulações, mas só a possibilidade da negociação e dessa nova vertente de atuação fez as ações da empresa de gtecnologia valorizarem 9% nesta sexta-feira, 26. Em Hong Kong e Xangai, o preço dos papeis da Great Wall aumentou 15% e 10%, respectivamente.

A expectativa é que a Xiaomi, um dos maiores fabricantes mundiais de celulares, adote sua própria marca caso venha a produzir seus veículos eletricos. Além da manufatura, a Great Wall deve prestar consultoria em engenharia.

Caso se confirme a parceria, a Xiaomi será apenas mais uma entre várias empresas do segmento de tecnologia que ensaiam ou encaminham, sozinhas ou em parceria, investidas na indústria automobilística e no campo da mobilidade.

Apple e Google, por exemplo, já desenvolvem projetos há alguns anos, sobretudo visando os veículos autônomos. No ano passado passado, a Foxconn firmou acordo com a chinesa Geely para produção de  carros elétricos.


Foto: Divulgação