OMercado Livre acompanhou a evolução dos preços de veículos usados e seminovos em diversos países da América Latina entre janeiro de 2020 e o mesmo mês de 2021, período altamente afetado pela pandemia de Covid-19. O estudo considerou carros e caminhonetes seminovos, fabricados entre 2010 e 2016.

A plataforma de e-commerce apontou compartamento desiguais nos principais países da região. O Brasil, maior mercado, registrou preços praticamente estáveis, na média. O Mercado Livre detectou aumento de 0,2% no valor médio do grupo de automóveis avaliado, apesar da inflação em 2020 de 4,5%, de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O mesmo quadro foi verificado no México, outro importante polo consumidor de veículos.

Na Colômbia e no Uruguai, contudo, os veículos seminovos valorizaram, na média, 1,4% e 7,3%, respectivamente, e na Argentina,  onde a inflação anual chegou a 36,1%, foi registrada a grande variação da região: nada menos do que 90%.

No Brasil, julho teve a maior queda mensal, com recuo de 1,7% . “Essa desvalorização aconteceu principalmente devido às incertezas econômicas geradas pelo avanço da Covid-19. Naquele momento, com a reabertura das lojas, muitos vendedores reagiram diminuindo preços para atrair novos compradores”, analisa Luis Paulo dos Santos, diretor do Marketplace de Veículos, Imóveis e Serviços do Mercado Livre.

Anúncio

Em contrapartida, já no final do ano, o levantamento retrata tendência de alta no Brasil. Em novembro, os preços aumentaram 1,5%. “A  média praticada voltou ao patamar de R$ 35.500,00”,  acrescenta Santos.

LEIA MAIS

Mercado de usados supera 1,2 milhão de unidades em março

O Mercado Livre também apurou a variação dos preços dos automóveis por marcas no mercado brasileiro. Os valores dos veículos Chevrolet (0,2%), Fiat (0,3%) variaram pouco e os dos Renault ficaram rigorosamente estáveis.  Já os dos modelos da Toyota recuaram 2% e os da Hyundai foram os que mais avançaram: crescimento da ordem de 7%, à frente dos 6% registrados pelos  carros da Mitsubishi e 4% dos BMW.

O estudo identificou ainda que, dentre os veículos mais procurados na plataforma, a picape Ford Ranger 2.5 XLT 2014 foi o veículo de maior valorização. Passou de R$ 64,5 mil para R$ 67,1 mil, 7% mais cara, enquanto o Toyota Corolla Xei 2014 manteve o mesmo preço médio de R$ 54 mil após ano.


Foto: Reprodução