A CNH Industrial colocou um ponto final nas negociações da venda da Iveco para o Grupo FAW, fabricante dos caminhões Jienfang. Em comunicado emitido no fim de semana, a holding da família italiana Agnelli confirma o encerramento das conversas, mas “continua a perseguir os planos existentes para uma cisão dessas atividades no início de 2022”, ou seja, tornar os negócios de veículos comerciais e de máquinas agrícolas e de construção independentes.

“A CNH Industrial acredita que há oportunidades significativas para desenvolver seus negócios On-Highway (veículos rodoviários), acelerando a implantação de soluções e infraestrutura de transporte cada vez mais sustentáveis, em linha com as ambições do Acordo Verde da UE”, diz a nota oficial de sábado, 17 de abril.

As tratativas entre as empresas avançavam desde meados do ano passado e revividas de maneira mais contundente no início de 2021, quando surgiram notícias nas agências internacionais especializadas de proposta que superava os € 3,5 bilhões.

Anúncio

O fim das conversas foi elogiado pelo governo italiano, que já havia anteriormente se posicionado contra a venda da marca Iveco para uma empresa chinesa. Em comunicado enviado por e-mail à Bloomberg, o ministro do Desenvolvimento Econômico da Itália, Giancarlo Giorgetti, lembra que acompanhou as negociações de perto, “porque considera a produção de veículos pesados de interesse nacional estratégico”, além de sinalizar que o governo está preparado para ajudar a garantir que a produção dos veículos da Iveco permaneça no país.

LEIA MAIS

→Iveco em momento mágico


Foto: Iveco/Divulgação