A falta de oferta de automóveis novos em consequência ao desabastecimento de semicondutores nas linhas de produção ocasiona mais uma baixa no mercado europeu. No mês passado as vendas de carros na União Europeia anotaram queda de 23,1%, para 718,6 mil unidades ante 934 mil registradas no mesmo mês do ano passado.

De acordo com a Acea, associação que representa os fabricantes na região, foi o pior desempenho para um mês de setembro desde 1995. A queda foi generalizada em todos os mercados, a grande maioria de dígitos.

Em virtude dos crescimentos registrados no primeiro trimestre de 2021, o desempenho no acumulado do ano se manteve em terreno positivo. De janeiro a setembro, os mercados da União Europeia absorveram 7,5 milhões de automóveis, em alta de 6,6% em relação ao mesmo período do ano passado.

Com menos produtos para distribuir, as fabricantes registraram fortes declínios em setembro. No pódio, a liderança segue com o Grupo Volkswagen, mas as 156,2 mil unidades vendidas representaram uma retração de 27,7%. A vice-líder Stellantis, com vendas de 148,2 mil automóveis, registrou queda de 29,9%. No terceiro, o Grupo Renault anotou baixa de 21,8% com entregas de 86,1 mil carros.

LEIA MAIS

→Vendas de automóveis na Europa recuam 17% em agosto


Foto: Acea/Divulgação