A Renault está pisando ainda mais fundo no acelerador do processo de eletrificação de seus veículos e  antecipará suas metas. Pelo menos é o que teria deixado claro Luca de Meo, CEO mundial da montadora, segundo relata a Automotive News Europa.

Em um evento de mídia, relata a publicação europeia, o executivo afirmou que a Renault se tornará integralmente elétrica na Europa já em 2030, antes portanto do que se imaginava anteriormente.

Até agora, era previsto que no mesmo prazo a marca francesa tivesse 90% de sua linha elétrica no continente e os 10% restantes seguissem movidos por outras fontes de energia.

A Renault, porém, admite ter um “plano B”, caso surjam empecilhos técnicos ou econômicos que possam atrasar a expansão da oferta de elétricos, como infraestrutura de recarga insuficiente ou os altos preços da eletricidade, e seguiria produzindo e vendendo carros com motor de combustão interna até um segundo momento para a transição total.

De Meo também antecipou que  a == Dacia, outra marca do Grupo Renault, será gradualmente eletrificada, ainda que em ritmo mais lento. “A Dacia será eletrificada no último momento possível, de modo que respeite sua proposta de venda de valor por dinheiro ‘, teria afirmado.

Anúncio

Muito provavelmente, portanto, após 2030, já que a União Europeia pretende que as vendas de veículos a combustão interna sejam encerradas até 2035 nos países do bloco.

O próximo passo para a Renault na Europa é lançar o Megane E-Tech Electric, baseado na plataforma CMF-EV, e o novo Kangoo Van E-TECH Electric, ambos  totalmente elétricos.

LEIA MAIS

→ Renault priorizará automóveis de maior valor na América Latina

→ Austral é o nome do novo SUV da Renault


Foto: Divulgação