Por Redação

A Volkswagen encerrou a fase de pré-venda do Novo Polo, modelo que chegará às concessionárias da marca em todo o País somente no mês vem. A montadora diz que ao menos 4 mil clientes fizeram a reserva do hatch por meio de hotsite  dedicado desde sua apresentação oficial em 25 de setembro.

“O sucesso da pré-venda é uma mostra inequívoca da confiança de nossos clientes na marca e nas qualidades do Novo Polo. Estamos bastante satisfeitos com os resultados”, afirma Gustavo Schmidt, vice-presidente de vendas e marketing da Volkswagen, Gustavo Schmidt.

O hatch é oferecido em com três opções de motores, duas de transmissão, e quatro versões. A mais barata, batizada apenas de Novo Polo, custa a partir de R$ 49.990, a MSI sai por R$ 54.990, a Comfortline 200 TSI por R$ 65.190 e topo de gama 200 TSI Highline, por R$ 69.190.

As duas últimas são equipadas com o motor três cilindros 1.0 TSI de 128 cv,  turbo e injeção direta,e transmissão automática de seis velocidades,  enquanto a MSI conta com o 1.6, de 117 cv, e a de entrada com o 1.0, de 84 cv, ambas com câmbio manual. Schimidt entende que a força de vendas maior do modelo  estará concentrada na versão Comfortline, que deve responder por algo entre 40% a 50% dos emplacamentos.

Anúncio

O número de interessados alcançado em menos de um mês da fase de pré-venda, indica que a Volkswagen pode alcançar o objetivo de vendas proposto para o modelo.  Durante seu lançamento, a montadora revelou que pretende  negociar ao menos 5 mil unidades mensais do hatch já a partir de sua chegada às revendas.

Se assim for, o Novo Polo conquistará disputará uma vaga no ranking dos cinco carros mais vendidos no País. Mais: pode encostar ou, como alguma canibalização dentro da marca, até mesmo superar o Gol, o automóvel líder daVolkswagen. De janeiro a setembro foram emplacadas 55,3 mil unidades do veterano modelo, média mensal de 6,1 mil unidades.

O segundo Volkswagen de maior volume de vendas é outro hatch, o Fox, que somou 24,6 mil unidades nos nove primeiros meses de 2017, período que a montadora fechou com participação de 12,5% em automóveis e comerciais leves, apenas 1,1 ponto porcentual atrás da Fiat, segunda marca mais vendida no Brasil.


Foto: Divulgação/Volkswagen