O Grupo Protege antecipa ideia de eletrificação no segmento de transporte de valores ao apresentar o primeiro carro-forte 100% que se tem conhecimento no mundo. O modelo, desenvolvido em parceria com a Eletra Industrial e a MIB Blindados, demandou 18 meses de trabalho e investimento em torno de R$ 1 milhão.

O projeto traz conceito de sustentabilidade desde a concepção. Em vez de um chassi novo, o desenvolvimento partiu da base de um veículo da frota da Protege retirado de circulação. Os componentes sem mais utilidade para o acionamento elétrico, como motor diesel e transmissão, seguiram para reciclagem.

De acordo com Marcelo Baptista de Oliveira, presidente do Grupo Protege, é uma proposta que olha para o futuro, “alinhado com uma tendência mundial de pensar em soluções de menor impacto ambiental. Além de emissão zero e investimento em tecnologia 100% nacional, fizemos o retrofit de um chassi desmobilizado.”

Anúncio

O blindado elétrico da Protege traz um banco de baterias de 957 kg que alimenta um motor elétrico da WEG que entrega torque de 1.800 kgfm. A autonomia é 75 km e pode ser totalmente carregado em 2h30. O veículo atuará na cidade de São Paulo e, segundo estimativas da empresa, proporcionará redução de até 65% nos gastos do quilômetro rodados, bem como deixará de emitir 1,4 toneladas de CO2 no meio ambiente por mês.

LEIA MAIS

→Eletra e VWCO fecham parceria para desenvolver soluções elétricas

→Transporte à prova de balas


Foto: Protege/Divulgação