Por Redação

A Nissan já deu o tiro de largada na produção da nova geração do Leaf, veículo elétrico mais vendido do mundo. O modelo começou a ser fabricado  no complexo industrial da montadora japonesa em Sunderland, no Reino Unido. As primeiras unidades já têm destino certo: os consumidores europeus, que poderão encontrá-lo nas revendas a partir de fevereiro..

A segunda geração do Leaf, diz a fabricante, tem”tecnologia avançada de direção inteligente e conectividade aprimorada”. O modelo ganhou mais autonomia e pode percorrer agora até 378 quiklômetros com uma única carga. “A Nissan liderou a introdução dos veículos elétricos na Europa em 2011 e a cada ano ficou mais claro que mais e mais consumidores compartilham a nossa visão sobre o futuro da direção”, diz Kevin Fitzpatrick, vice-presidente de produção da Nissan Europa.

Anúncio

A primeira geração do Leaf começou a ser produzida no Reino Unido em 2013. O modelo elétrico, entretanto, já era importado do Japão desde 2011 e nesses seis anos tem vendas acumuladas de 85 mil unidades.

Dentre as novas tecnologias, o novo Leaf dispõe de:

  •  e-Pedal, que permite que os motoristas arranquem, acelerem, freiem e parem o carro apenas aumentando ou reduzindo a pressão no acelerador. É possível parar o carro inclusive em declives;
  • sistema de direção inteligente ProPILOT, que controla automaticamente a distância do carro da frente e mante o veículo no centro da  faixa de rolagem;
  • sistema ProPILOT Park, que, por meio de um toque em um botão, estaciona automaticamente o Leaf. O recurso combina imagens de quatro câmeras de alta resolução e informações de doze sensores de ultrassom em torno do carro para orientar o veículo espacialmente.

Além do modelo elétrico, a fábrica de Sunderland produz ainda os crossover Nissan Qashqai e o Juke mais os modelos Infiniti Q30 e QX30. No ano passado, a unidade  completou três décadas. A produção acumulada nesse período superou 9 milhões de veículos. É, assim, a maior fábrica  de carros do Reino Unido de todos os tempos.


Foto: Divulgação/Nissan