Por Redação | autoindustria@autoindustria.com.br

O mercado de carros importados confirmou em março a trajetória de alta esperada para este ano em função do fim do Inovar-Auto, que impunha cotas e impostos maiores para o setor.

Com 3.457 emplacamentos em março, as dezessete marcas filiadas à Abeifa, Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores, registraram crescimento de 34,1% em relação a fevereiro, quando foram licenciadas 2.577 unidades, e de 40,9% no comparativo com o mesmo mês do ano passado (2.453 veículos).

No trimestre, as vendas atingiram 8.459 unidades importadas, expansão de 39% em relação às 6.084 unidades emplacadas no mesmo período de 2017. Apesar do desempenho positivo, a Abeifa destaca que suas associadas representam hoje apenas 1,7% do mercado interno, ou seja, continuam com participação extremamente restrita.

Anúncio

E mesmo no contexto exclusivo dos carros importados, a representatividade da Abeifa é baixa. Em março, por exemplo, suas associadas responderam por 14,4% do total de 24.015 unidades trazidas do Exterior, ou seja, a grande maioria veio por intermédio dos próprios fabricantes locais.

De acordo com a Abeifa, as cinco marcas que mais venderam, no trimestre foram a Kia Motors, com 3.017 licenciamentos, Volvo (1.095), Jac Motors (1.060), Lifan (719) e BMW (540). No mês de março, as posições não se alteram: Kia Motors (1.416), Volvo (449), Jac (436), Lifan (239) e BMW (226).

Produção local – Entre as associadas à Abeifa que também têm produção nacional, BMW, Chery, Jaguar Land Rover e Suzuki fecharam o mês de março com 1.710 unidades comercializadas, com alta de 37% em relação a fevereiro de 2018 e de 39% sobre o mesmo mês do ano passado.


Foto: Divulgação/Kia